Partilhar

Palpitação no coração: o que pode ser

 
Por Gennesis Gonzalez, Médica Cirurgiã. 8 abril 2019
Palpitação no coração: o que pode ser

Sentir que o coração está batendo muito rápido, forte e agitado define as palpitações no coração. Esta sensação se manifesta na presença de fatores como o exercício, estresse, a ingestão de algum medicamento e por último, e em raras ocasiões, por alguma doença.

Se você ouviu que a palpitação no coração pode matar, deve saber que es palpitações no peito por si sós não causam danos, salvo em casos severos de manifestações de taquicardia, surgindo como um sintoma grave dos batimentos cardíacos irregulares. As arritmias cardíacas exigem tratamento médico.

É importante conhecer tudo o que está relacionado com este tema. Neste artigo do ONsalus te falaremos sobre a palpitação no coração: causas e tratamento ideal para esta condição.

Também lhe pode interessar: Veia do pescoço pulsando: o que pode ser

O que é palpitação no coração

As palpitações no peito acontecem quando o coração bate muito forte, agitado e rápido, e além de serem sentidas no peito, podem se manifestar na garganta e pescoço. Esta é uma sensação bastante desagradável para a pessoa que a sente.

Embora seja uma sensação inofensiva, é importante ir ao médico quando a palpitação no coração ocorre frequentemente e sem uma razão ou causa aparente, ou quando fica por muito tempo (mais de 2 horas) sem voltar para a frequência cardíaca normal, que se encontra entre 60 e 100 batidas por minuto.

O coração bate de forma normal com uma frequência padrão. Se passa dos 100 batimentos por minuto estamos na presença de uma taquicardia e se bate com uma frequência inferior a 60 batimentos por minuto, é chamada de bradicardia.

A frequência cardíaca varia em função de certos fatores. Contudo, em estado de repouso esta deve permanecer entre 60 e 100 batimentos por minuto. Quando o coração bate com força neste estado, se sentem a temida palpitação no coração.

As palpitações representam 16% das consultas em atendimento primário[1], ficando atrás apenas da dor torácica como motivo de consulta nos serviços de cardiologia.

Palpitação no coração: o que pode ser

As palpitações no peito podem estar, ou não, relacionadas com o coração. A seguir te explicaremos quais são as principais causas da palpitação no coração:

  • Exercício: a atividade física pode estimular a resposta cardíaca e acelerar o metabolismo.
  • Emoções: a ansiedade e o estresse são encarregadas de ativar o organismo e, portanto, fazer com que o coração acelere, sentindo as temidas palpitações.
  • Cafeína: a ingestão de bebidas estimulantes como o café, assim como o consumo de drogas e tabaco geram de forma frequente palpitações no peito.
  • Consumo de medicamentos: alguns medicamentos causam palpitações no coração como efeitos colaterais. Apenas alguns deles têm um componente estimulante, dentro dos quais estão inclusos os medicamentos utilizados para a hipertensão arterial, para tratar problemas cardíacos ou medicamentos para a asma.
  • Febre: o aumento da temperatura corporal provoca palpitação no coração.
  • Hipertireoidismo: a estimulação da glândula tiroide ou o excesso de atividades físicas fazem com que haja um aumento dos hormônios, afetando diretamente o coração e apresentando palpitações no mesmo.
  • Falta de oxigênio: também estimula o coração, tornando as palpitações muito mais perceptíveis como mecanismo compensatório.
  • Falta de ferro: a anemia, algumas vezes, é refletida com palpitações no coração.

Em relação às palpitações no peito que estão diretamente relacionadas com o coração encontramos:

  • Arritmia cardíaca: as pessoas cujo ritmo cardíaco é irregular podem apresentar palpitações no peito a qualquer momento.
  • Valvulopatia: qualquer problema relacionado com as válvulas do coração pode estar relacionado à presença de palpitações no peito, uma vez que as válvulas cardíacas são encarregadas de facilitar a circulação do sangue através de todo o coração.

Palpitação no coração: tratamento

Se estiver em repouso e apresentar palpitações no peito você deve suspeitar de que existe algum fator desencadeante. Neste caso, para conseguir melhorar as palpitações é importante alterar o estilo de vida, o que inclui:

  • Eliminar da dieta o consumo de bebidas com cafeína.
  • Eliminar o tabagismo.
  • Não usar drogas.

Por outro lado, é necessário aprender a canalizar todas as emoções que afetam diretamente nossa saúde emocional, por isso que é importante realizar atividades de meditação, aplicar técnicas de relaxamento ou ioga para desta forma melhorar este aspecto, diminuindo as chances de ter as palpitações no peito.

Caso as palpitações sejam causadas pelo consumo de medicamentos, é importante levar em conta se este sintoma aparece quando iniciado o tratamento e consultar o médico quando for necessário.

Uma vez que começar a sentir as palpitações, é importante pegar seu pulso e medir por quanto tempo dura este sintoma, para depois poder transmitir todas as informações necessárias ao médico na hora da consulta.

É essencial saber as causas do aparecimento das palpitações no coração e ir ao médico no momento oportuno, sobretudo quando estas palpitações estão relacionadas com problemas de coração.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Palpitação no coração: o que pode ser, recomendamos que entre na nossa categoria de Sangue, coração e circulação.

Referências
  1. Álvarez-Gaviria, Manuel et al. Enfoque semiológico de las palpitaciones. Rev. Fac. Med. 2014 Vol. 62 No. 1: 119-130. Acessado no dia 11 de novembro de 2018. Disponível em: http://www.scielo.org.co/pdf/rfmun/v62n1/v62n1a15.pdf

Escrever comentário sobre Palpitação no coração: o que pode ser

O que lhe pareceu o artigo?

Palpitação no coração: o que pode ser
Palpitação no coração: o que pode ser

Voltar ao topo da página