Partilhar

Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar

 
Por Dr. Francisco Zapata, Médico Puericultor, Pediatra e Redator. 26 agosto 2019
Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar

De forma natural e normal, o aparelho genital feminino produz corrimento continuamente, uma vez que ele é produzido pelas glândulas que se encontram no colo do útero. Na maioria das vezes, pela sua escassa quantidade, este corrimento ou descarga não é evidente. Em casos nos quais pode ser notado, ele deve ser claro, transparente ou esbranquiçado, sem cheiro e sem provocar nenhum sintoma na mulher. De fato, este corrimento serve como proteção contra infeções bacterianas e contribui para a eliminação de células cervicais e vaginais mortas.

No entanto, em ocasiões particulares, pode surgir a presença de corrimento que não apresenta essas características, provocando algum tipo de cheiro distintivo ou provocando ardência, irritação ou outros sintomas, o que nos leva a pensar que algo anormal pode estar acontecendo. É o caso quando surge corrimento amarelo esverdeado, o qual pode significar a presença de várias doenças específicas ou ser o primeiro sintoma através do qual se manifesta. O corrimento pode se apresentar com ou sem cheiro e até mesmo durante a gravidez.

Neste artigo do ONsalus, explicaremos o que pode ser corrimento amarelo esverdeado e quais os melhores tratamentos para acabar com o problema.

Também lhe pode interessar: Corrimento esverdeado, o que pode ser?

Corrimento amarelo esverdeado sem cheiro

Vaginite inflamatória descamativa

É uma causa rara de corrimento amarelo esverdeado que pode se apresentar em mulheres depois da menopausa.

É atribuída à falta de níveis adequados de estrógenos e se caracteriza, além disso, por fazer que as relações sexuais sejam muito dolorosas.

Uso inadequado de sabões e duchas vaginais

O uso inapropriado de sabões, duchas vaginais ou sprays pode provocar alteração na flora bacteriana vaginal normal e do pH da mesma.

O resultado pode ser a produção de um corrimento amarelo esverdeado sem cheiro.

Câncer do colo do útero

A presença de um corrimento amarelo esverdeado sem cheiro pode ser uma manifestação de câncer cervical. Embora o mais frequente nesse tipo de câncer seja o corrimento com sangue, esta é uma variante que deve ser considerada.

Além desse, existem outros sintomas associados: perda de peso ou de apetite sem explicação, dores na parte de baixo das costas, cansaço, dor ao ter relações sexuais, entre outros.

Corrimento amarelo esverdeado com odor

Infecção por clamídia

A Chlamydia é uma bactéria que se transmite por via sexual. De forma habitual, esta infecção não produz sintomas na mulher.

Quando produz sintomas, um deles é o corrimento amarelo esverdeado fétido e abundante acompanhado por dor ao urinar e ao ter relações sexuais, dor no pé da barriga e até mesmo febre. Saiba mais sobre clamídia na mulher: sintomas e tratamento nesse artigo.

Infecção por gonorreia

A Neisseria gonorrhoeae é uma bactéria que se também se transmite por via sexual. Contudo, as mulheres não apresentam sintomatologia da infecção de forma geral.

Em casos nos quais se apresentam sintomas, um deles é o corrimento amarelo esverdeado com cheiro, além de atividade sexual dolorida, coceira na vulva, sangramento intermenstrual, febre, entre outros.

Vaginose bacteriana

São provocadas, na sua maioria, após o uso de duchas vaginais.

Os Lactobacilos são bactérias que garantem a manutenção de um pH vaginal ácido, o qual protege contra o crescimento de bactérias prejudiciais a esse nível. A limpeza provocada por esse tipo de duchas permite o crescimento de bactérias patógenas que podem provocar corrimento amarelo esverdeado com cheiro de peixe.

No seguinte artigo, explicamos quais são os sintomas, causas e tratamento da vaginose bacteriana.

Tricomoníase

A Trichomonas vaginalis é um protozoário transmitido por via sexual que pode condicionar o aparecimento de corrimento amarelo esverdeado De forma habitual, a maioria das mulheres infetadas não apresenta sintomas.

Caracteristicamente, esta infecção é associada a um corrimento amarelo esverdeado espumoso, coceira a nível da vulva e um mau cheiro característico definido como “cheiro de peixe podre”. Além disso, pode existir dor ao urinar e dor abdominal.

Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar - Corrimento amarelo esverdeado com odor

Corrimento amarelo esverdeado na gravidez

As causas do corrimento amarelo esverdeado na gravidez não diferem das origens expostas anteriormente na ausência da mesma.

Pelas mudanças hormonais que a gravidez provoca, a mulher grávida tem uma predisposição especial para desenvolver infecções vaginais com mais facilidade, pelo que deve ter especial atenção a qualquer variação notada no seu corrimento normal.

As vaginoses bacterianas são muitos comuns na gestação, assim como as infecções por fungos.

Corrimento amarelo esverdeado: como tratar

Existe tratamento específico para cada uma das causas que pode provocar corrimento amarelo esverdeado, com ou sem gravidez.

Em todos os casos, o médico deve realizar um esfregaço e analisar o corrimento para determinar a causa concreta do mesmo. Em função disso, se indicará o tratamento apropriado em cada caso.

Não existem medidas unitárias para tratar as diferentes causas de forma ampla com um único tratamento, assim como não existem remédios caseiros para corrimento amarelo esverdeado em nenhuma das causas desencadeantes.

Em todos os casos, o tratamento farmacológico deve ser cumprido, pelo que a visita ao médico em caso de presença de corrimento amarelo esverdeado, com cheiro ou sem, é obrigatória e deve ser efetuada tão rápido quando possível, assim que o corrimento surgir.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Bibliografia
  • Dunn, A. (27 de setembro de 2017). Yellow green discharge: Is it normal? 7 main causes, treatment. Acessado em 28 de abril de 2019, em Med Plux: https://www.medplux.com/yellow-green-discharge-causes-treatment/
  • Ellis, M. E., & Wilson, D. R. (30 de julio de 2018). Everything you need to know about vaginal discharge. Acessado em 28 de abril de 2019, em Health Line: https://www.healthline.com/health/vaginal-discharge#when-to-seek-help
  • Galan, N., & Ernst, H. (22 de junho de 2018). A color-coded guide to vaginal discharge. Acessado em 28 de abril de 2019, em Medical News Today: https://www.medicalnewstoday.com/articles/322232.php
  • Johnson, T. C. (25 de febrero de 2018). Vaginal discharge: What’s abnormal? Acessado em 28 de abril de 2019, em Web MD: https://www.webmd.com/women/guide/vaginal-discharge-whats-abnormal

Escrever comentário sobre Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar

O que lhe pareceu o artigo?

Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar
1 de 2
Corrimento amarelo esverdeado: o que pode ser e como tratar

Voltar ao topo da página