Partilhar

Corrimento esverdeado, o que pode ser?

Por Nídia do Carmo, Editora e redatora ONsalus. 25 abril 2018
Corrimento esverdeado, o que pode ser?

O corrimento vaginal é uma espécie de líquido que as glândulas do cérvix e da vagina segregam para manter a zona íntima umedecida, limpa e saudável, afastando os micro-organismos que podem provocar infecções. O corrimento vaginal pode variar em consistência, cor e odor, sendo que essas alterações indicam a presença de um problema de saúde subjacente. Quando o corrimento adquire um tom esverdeado, por exemplo, indica que a mulher afetada está sofrendo de algum tipo de infecção vaginal que requer tratamento médico numa fase inicial para curar e evitar complicações que podem comprometer a saúde reprodutiva feminina. No seguinte artigo do ONsalus, aprofundamos essa questão e respondemos à sua pergunta: Corrimento esverdeado, o que pode ser?

Também lhe pode interessar: Corrimento transparente: o que pode ser

Como saber se o corrimento é normal?

O corrimento vaginal desempenha uma função muito importante no corpo feminino, ajudando a manter um ambiente saudável na vagina e favorecendo a limpeza da mesma, além de protegê-la de possíveis infecções. É essencial destacar que o corrimento vaginal normal costuma ser claro, transparente ou com um tom esbranquiçado em alguns casos, sem mau cheiro, e com textura e consistência que variam de uma mulher para outra e de acordo com o momento do mês. É mais abundante em metade do ciclo menstrual e mais espesso e abundante durante a gravidez e o período de lactância.

A mulher deve ficar atenta a mudanças significativas no corrimento vaginal e consultar um ginecologista de imediato caso ele apresente um tom amarelado, cinza ou esverdeado, assim como se apresenta mau odor ou tem presença de sangue. Além disso, também se deve consultar o médico quando o corrimento vaginal anormal é acompanhado de outros sintomas como irritação, ardência ou coceira na zona vaginal.

Corrimento esverdeado e coceira: tricomoníase

A tricomoníase é uma doença sexualmente transmissível (DST) que pode provocar a secreção de corrimento esverdeado ou amarelado no caso das mulheres. Esta infecção é provocada por um parasita chamado Trichomonas vaginalis e pode ser contraída durante as relações sexuais com uma pessoa infetada.

Quando a infecção evolui com sintomas, provoca corrimento vaginal espumoso de cor esverdeada ou amarelada e com mau odor, semelhante ao do peixe. Além disso, é comum observar vermelhidão, coceira e ardência na vagina, desconforto ao urinar, dores durante a relação sexual e inchaço nos lábios vaginais.

É necessário fazer um tratamento à base de antibióticos para curar totalmente a tricomoníase e evitar as relações sexuais até finalizar o tratamento. Além disso, o parceiro da pessoa infectada também se deve submeter aos exames necessários e ser tratado caso seja necessário.

Complemente essa informação sobre a doença, acessando o artigo: Tricomoníase: sintomas, causas e tratamento.

Corrimento esverdeado, o que pode ser? - Corrimento esverdeado e coceira: tricomoníase

Corrimento verde com cheiro forte: Gonorreia

Continuando com as DST, outra das que provocam corrimento esverdeado é a gonorreia. Nesse caso, a responsável pela infecção é uma bactéria chamada Neisseria gonorrhoeae que se pode propagar durante qualquer tipo de prática sexual.

Os sintomas de gonorreia na mulher incluem secreções vaginais esverdeadas ou amareladas com mau odor, dor e ardência ao urinar, desconforto durante a relação sexual e dor no pé da barriga.

É importante tratar a gonorreia bem cedo com medicamentos antibióticos para, assim, evitar possíveis complicações como dor pélvica crônica, infertilidade, doença inflamatória pélvica ou gravidez ectópica.

Corrimento grosso esverdeado: clamídia

Entre as possíveis causas do corrimento esverdeado, também se encontra a clamídia, outra doença de transmissão sexual provocada pela bactéria clamidia trachomatis que pode chegar a afetar severamente a saúde do aparelho reprodutor feminino quando não é tratada corretamente.

As mulheres com clamídia que apresentam sintomas podem experienciar um corrimento anormal de cor amarela ou verde, dor ao urinar e micção frequente, relações sexuais dolorosas, sangramento vaginal anormal entre menstruações, dores abdominais e no reto e sensação de inchaço no interior da vagina ou em torno do ânus.

Perante esses sintomas, será necessário iniciar um tratamento antibiótico que destrói a bactéria responsável pela infecção por completo. Além disso, também devem ser feitas consultas médicas de seguimento após finalizar o tratamento.

É muito importante saber que o único jeito seguro de prevenir este tipo de doenças venéreas é o uso do preservativo durante a relação, quer seja vaginal, anal ou oral.

Corrimento esverdeado, o que pode ser? - Corrimento grosso esverdeado: clamídia

Líquido esverdeado saindo da vagina: doença inflamatória pélvica (DIP)

Em alguns casos, o padecimento de infecções de transmissão sexual como as mencionadas até agora pode provocar algumas complicações e derivar na chamada doença inflamatória pélvica (DIP), uma inflamação e infecção do útero, ovários e trompas de Falópio. Ela costuma ser provocada por algum tipo de infecção bacteriana que se origina na vagina e no colo do útero e que, posteriormente, se dissemina e afeta os órgãos reprodutores mencionados.

No geral, a DIP costuma surgir como consequência da clamídia ou da gonorreia, embora também se possa apresentar graças à entrada de bactérias no organismo da mulher durante a inserção do DIU, um aborto ou durante uma biópsia do endométrio.

Além do corrimento esverdeado ou amarelado, a DIP costuma provocar dores no pé da barriga, febre, desconforto e sangramento durante a relação sexual, dor e coceira durante a micção. Também podem surgir náuseas e vômitos, debilidade, perda de apetite, menstruações irregulares, entre outros.

Deve ser tratada com medicamentos antibióticos e apenas é necessário fazer cirurgia em casos de maior gravidade quando existem abcessos nos ovários nas trompas de Falópio.

Corrimento verde claro: Vaginose bacteriana

Por último, outra das causas do corrimento esverdeado pode ser a vaginose bacteriana, uma infecção leve muito comum entre as mulheres que é provocada pelo crescimento excessivo de bactérias na vagina. Embora as causas exatas sejam desconhecidas, já foi provado que existe um risco maior em mulheres que fazem duchas vaginais agressivas ou possuem múltiplos parceiros sexuais.

Entre os principais sintomas da vaginose bacteriana encontramos o corrimento verde claro ou transparente após a relação sexual, com cheiro forte semelhante ao do peixe, coceira e irritação vaginal, desconforto ao urinar e inchaço nos grandes lábios vaginais.

Nesse caso, após fazer uma colheita do corrimento vaginal para exame, deve ser iniciado um tratamento antibiótico para eliminar a infecção por completo.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Corrimento esverdeado, o que pode ser?, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Escrever comentário sobre Corrimento esverdeado, o que pode ser?

O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
Juliane
Estou no sétimo mês da minha gestação e estou com minha vacina inchada com corrimento esverdeado e coceira já fiz vários tratamentos com metronidazol para e depois volta oque pode ser?
Nídia do Carmo (Editor/a de ONsalus.com.br)
Oi Juliane! Você deve ir no médico o quanto antes para que ele faça um exame físico e te dê um diagnóstico e tratamento corretos. Rápidas melhoras!
A sua avaliação:
Luisa Rios
Existe tratamento caseiro para este tipo de problema?

Corrimento esverdeado, o que pode ser?
1 de 3
Corrimento esverdeado, o que pode ser?

Voltar ao topo da página