Partilhar

Espinha que não some: causas e tratamento

 
Por Leonardo Simon. 14 abril 2020
Espinha que não some: causas e tratamento

Quão difícil pode ser se conter de apertar uma espinha, ainda mais se esta dura mais tempo que o normal? No entanto, não devemos fazer isso, a pele do rosto é tão delicada, tão visível e tão exposta que, caso não seja cuidada de forma adequada, podem ficar marcas difíceis de remover.

Existem diferentes razões pelas quais uma espinha não some e dura mais tempo do que o normal, mas o que você pode fazer para eliminá-la? Como fazer para remover espinhas internas? Isso e muito mais você encontrará no artigo a seguir do ONsalus.

Espinha que não some: causas

A pele do rosto pode ser afetada por diferentes lesões. Embora a mais comum seja a acne, existem lesões que se parecem com ela mas não são e, portanto, uma "espinha" pode parecer durar mais tempo do que o normal.

Entre as causas de espinhas que não somem, encontramos:

  • Cisto epidermoide: costuma estar localizado no rosto, pescoço ou na parte de cima do tórax, mede de 1 a 5 cm e é superficial, da mesma cor da pele ou rosado-esbranquiçado. Trata-se de uma obstrução em um folículo piloso, onde vai crescendo um cisto com o acúmulo de um material esbranquiçado e com mau cheiro (similar ao queijo), que pode ser visto quando espremido.
  • Cisto de milium: pode ser apenas um ou vários, é uma estrutura muito pequena (1 a 2 mm) e costuma estar localizado nas pálpebras ou bochechas, é mais superficial que os outros cistos e tem a aparência de uma espinha esbranquiçada. Pode ser congênito (estar presente desde o nascimento), aparecer sem motivo ou estar relacionado com outras doenças (epidermólise bolhosa, porfiria cutânea tarda, queimaduras ou tratamentos com corticoides e lasers).
  • Cisto sebáceo: está quase sempre localizado no couro cabeludo e cresce a partir de uma glândula sebácea (a qual secreta o lubrificante da pele e cabelo).
  • Acne vulgar: em dois casos de acne, podemos notar que uma espinha dura mais tempo do que o comum. Se uma espinha for espremida é gerada uma reação inflamatória que pode causar uma infecção. Se esta for grave, na área pode ficar uma cicatriz, que gera uma superfície dura onde ela apareceu, podendo causar a sensação de que a espinha não desaparece. Por outro lado, quando as espinhas são internas (ou seja, não têm saída ao exterior), costumam doer e durar um pouco mais tempo do que a acne que tem saída para o exterior, já que geralmente são infectadas.
Espinha que não some: causas e tratamento - Espinha que não some: causas

O que fazer em caso de espinha que não sara

Como primeira medida, é importante se consultar com um(a) dermatologista, já que ele poderá determinar qual o tipo da lesão e quais são os possíveis tratamentos. Um diagnóstico a tempo evitará que tente várias possíveis soluções, que muitas vezes não farão a espinha que está te incomodando desaparecer e ainda pior, podem fazer com que fique alguma cicatriz em seu lugar.

Indiferente do seu caso, não aperte a espinha que está te incomodando, já que o mais provável é que se machucar esta área, fiquem manchas ou cicatrizes em seu lugar. Se você tem uma espinha que não some, recomendamos:

  • No caso da acne, é possível recorrer a diferentes terapias, entre elas: limpezas mais frequentes, exfoliação, proteção solar, evitar cosméticos comedogênicos, uso de medicação local específica. A indicação de um ou de outro dependerá do tipo de acne, sua gravidade e dos tratamentos anteriores que realizou.
  • No caso dos cistos de milium, os menores e mais superficiais, também é conveniente fazer limpezas e exfoliações, mas eles não poderão ser eliminados caso não seja feito o esvaziamento dos mesmos. É um procedimento muito simples, mas deve ser feito com cuidado para que não deixe uma cicatriz em seu lugar.
  • Os cistos epidérmicos e sebáceos devem ser eliminados cirurgicamente. Extrai-los junto com sua cápsula é a única forma de fazer com que não voltem a aparecer, pois caso fiquem restos deles na pele, há a possibilidade de que cresçam novamente. Isto deve ser realizado por um(a) profissional com experiência, já que por se tratarem de lesões um tanto profundas da pele, podem ficar cicatrizes que serão iguais ou mais incômodas esteticamente que o próprio cisto.

Confira também nosso vídeo para conhecer 3 remédios naturais para espinhas:

Como remover espinhas internas

Como foi visto, as espinhas císticas ou internas podem ser causadas pela acne sem saída para o exterior ou também podem se tratar de cistos que devem ser removidos. Caso tenha apenas a acne, você pode pôr em prática os seguintes conselhos:

  • Nunca esprema a espinha, somente gerará mais inflamação e deixará marcas.
  • Limpe seu rosto: duas vezes ao dia é o mais adequado, tente utilizar sabonetes neutros e sem perfume.
  • Você pode tomar banhos de vapor no rosto: depois de ferver a água, deixe esfriar um pouco e, cobrindo-se com uma toalha, receba o vapor durante 5 ou 10 minutos. Depois, lave seu rosto com água fria. O calor ajudará a limpar os poros e o frio ajudará a fechá-los e a melhorar a circulação na área.
  • Esfolie seu rosto: uma vez na semana pode usar café moído para esfoliar sua pele. Massageie-a suavemente durante 5 minutos e enxague.
  • Flor de calêndula: use-a para fazer uma infusão e limpar seu rosto com ela. É anti-inflamatória, ajuda na limpeza e na regeneração da pele.
  • Máscara com bicarbonato: misture 2 colheres de bicarbonato com 2 de água e espalhe pelo seu rosto, é excelente para limpar e purificar os poros. Depois de 15 minutos enxague e aplique óleo de coco ou azeite de oliva para hidratar.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Espinha que não some: causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Tratamentos estéticos.

Vídeos relacionados com Espinha que não some: causas e tratamento

1 de 3
Vídeos relacionados com Espinha que não some: causas e tratamento

Escrever comentário sobre Espinha que não some: causas e tratamento

O que lhe pareceu o artigo?

Espinha que não some: causas e tratamento
1 de 2
Espinha que não some: causas e tratamento

Voltar ao topo da página