Partilhar

O que é curetagem e como se preparar

Por Nídia do Carmo, Editora e redatora ONsalus. Atualizado: 4 fevereiro 2019
O que é curetagem e como se preparar

A curetagem é uma das principais intervenções cirúrgicas que são realizadas a nível ginecológico. Apesar de ser uma técnica rápida e simples, sempre que se passa por um tratamento médico deste tipo, há uma série de aspectos e fatores que se deve ter em conta.

Você sabe em que consiste a raspagem do útero? Sabe o preparo que deve ser feito antes desta operação? No seguinte artigo do ONsalus te explicaremos detalhadamente todas as particularidades sobre o que é curetagem e como se preparar.

O que é curetagem

A curetagem ou raspagem do útero é um procedimento simples que se popularizou por ser usado tanto para induzir um aborto como para extrair o conteúdo após um aborto espontâneo, mas é utilizado em muitos mais casos. A curetagem é uma técnica feita por ginecologistas através da qual se raspam as paredes do útero a fim de extrair o endométrio, a capa mucosa que o cobre, através de uma intervenção rápida, que leva apenas 15 minutos.

Como é feita a curetagem

A curetagem ou raspagem uterina é feita em duas fases, a dilatação e o procedimento de curetagem uterina:

  • A dilatação: como seu nome indica, é a primeira fase da curetagem e se baseia em ampliar a entrada uterina de forma a que possam entrar os instrumentos necessários para fazer a raspagem. Para conseguir isso, o médico vai introduzindo cilindros metálicos no colo do útero, cilindros que vão se expandindo até que atinjam uma medida adequada para que os instrumentos possam entrar.

  • A curetagem: também chamada de raspagem das paredes do útero, é quando o ginecologista introduz no útero uma vareta que em uma extremidade tem um pegador para ser manipulado e na outra uma alça que permite a raspagem das paredes uterinas, de forma que se possa extrair o endométrio pelo próprio colo do útero. Nos últimos anos, estes instrumentos foram sofrendo algumas mudanças significativas, por exemplo, atualmente há uma câmera incorporada que permite ao médico guiar a haste com muito mais precisão. Além disso, sua alça é capaz de esquentar, de forma que, ao mesmo tempo em que raspa a superfície, as feridas são coaguladas, para que não haja sangramento. Durante todo este processo, o médico especialista mantém um espéculo no colo do útero. O espéculo é um instrumento que permite manter abertas cavidades ou feridas.

Curetagem: quando é necessário fazer

A curetagem uterina ou raspagem do útero pode ser feita com dois objetivos principais; coletar uma amostra do endométrio para analisá-la e determinar se a paciente apresenta alguma condição, ou a fim de fazer o esvaziamento do interior do útero pela razão que for. A seguir te explicamos detalhadamente quando é preciso fazer curetagem:

Curetagem semiótica

  • Diagnosticar câncer de útero: embora não seja dos mais comuns, o câncer de útero pode acontecer na mulher, especialmente uma vez que esta tenha chegado na menopausa. Com a raspagem uterina, consegue-se obter uma amostra que, depois de analisada, determinará se há sinais malignos.
  • Prevenir o câncer de endométrio: diferente da mamografia, não recomenda-se que todas as mulheres passem por este exame médico, contudo, em algumas exceções, deve-se fazê-lo para diagnosticar precocemente o câncer de endométrio.
  • Alterações na menstruação: seja porque as menstruações são muito abundantes ou porque os ciclos são irregulares, a curetagem do endométrio pode servir para analisar este tecido e esclarecer quais são as causas e os possíveis remédios para estas condições.

Curetagem para esvaziar o útero

  • Após um aborto espontâneo: quando acontece um aborto espontâneo e o embrião morre durante a gravidez podem acontecer duas opções; que este seja expulso e aconteça um aborto completo, ou que este fique dentro do útero, o que chamamos de aborto retido. Neste caso, a curetagem ou raspagem uterina é utilizada para extrair o embrião antes que gere uma infecção potencialmente perigosa para a mãe. Cabe dizer que a curetagem só é uma opção se a gravidez interrompida não tiver passado dos três meses.
  • Fazer um aborto: a curetagem uterina é uma das possíveis opções na hora de interromper a gravidez no primeiro trimestre. Normalmente, é feita quando o aborto com medicamentos já não é mais possível.
  • DIU incrustado: em alguns casos pode acontecer do DIU ficar incrustado nas paredes do útero, impossibilitando sua extração. Nestes casos, é possível fazer uma raspagem uterina para extrair o endométrio que mantém o DIU preso.
  • Eliminar miomas e os pólipos: tanto os pólipos quanto os miomas são anormalidades nos endométrios ou no músculo uterino que vão crescendo e causam diferentes complicações, como abortos, alterações na menstruação e esterilidade. Nestes casos, eles devem ser eliminados e a curetagem do útero é a melhor forma de se fazer isso.

Como se preparar para uma curetagem uterina

A curetagem não é um procedimento complicado, pode ser feita tanto em hospitais quanto em clínicas. Dependendo da paciente, é possível administrar anestesia local ou geral, a questão é que não é preciso nenhuma preparação especial, exceto àquelas comuns de qualquer cirurgia - embora não seja realmente uma cirurgia:

  • Fazer um hemograma para analisar o estado geral de saúde.
  • Fazer previamente uma exploração ginecológica.
  • No caso da aplicação de anestesia geral, não coma nem beba nada durante 8 horas.
  • Não tome nenhum tipo de medicamento que o médico não tenha receitado na semana anterior à intervenção.

Cuidados pós curetagem

Depois de uma curetagem uterina, a mulher pode retomar suas atividades cotidianas tão logo quanto se sinta bem para fazê-las, inclusive pode fazer no mesmo dia se acha que tem condições. Além disso, é normal que durante as primeiras 24 horas a mulher tenha dor abdominal pélvica e até mesmo nas costas. Do mesmo modo, é normal que exista sangramento vaginal durante as duas semanas posteriores à raspagem das paredes do útero.

Conselhos para a recuperação depois de uma curetagem uterina:

  • Deve-se prestar especial atenção em casos de mulheres que fizeram uma curetagem após um aborto, dado que o impacto emocional pode requerer acompanhamento psicológico.
  • Entre as 2 e 6 semanas posteriores à curetagem, o ciclo menstrual volta a normalidade. No entanto, deve se ter em conta que, apesar dos sangramentos vaginais durante os primeiros dias, a ovulação pode ocorrer antes, algo que você deve ter em conta na hora de usar métodos anticoncepcionais.
  • Não tenha relações sexuais nas duas semanas posteriores à raspagem vaginal. Saiba mais sobre este tema no artigo: quanto tempo depois da curetagem posso ter relação?
  • Não utilize absorventes internos durante este mesmo tempo nem entre em uma banheira, use apenas o chuveiro.
  • Evite praticar esportes e exercícios físicos intensos.
  • Aprofunde este tema acessando também o artigo cuidados pós curetagem uterina.

Vá ao médico se, após a curetagem, apresentar sintomas como:

  • Febre;
  • Cólicas;
  • Corrimento com mau cheiro;
  • Tonturas;
  • Sangramentos muito abundantes e com coágulos.

Riscos da curetagem

A curetagem é uma técnica que evoluiu muito, poucas vezes ocorrem complicações durante estas intervenções. Mas qualquer intervenção, por menor que seja, sempre tem um risco. A seguir te explicamos quais são os riscos da curetagem:

  • Punção do útero: felizmente, com as inovações tecnológicas, especialmente o uso da câmera, isto é muito pouco frequente. A punção do útero acontece quando a haste perfura esta área, algo que deve ser tratado através de uma cirurgia urgente.
  • Oclusão do útero: também conhecida como síndrome de Asherman, acontece quando, após a curetagem, as superfícies do útero cicatrizam entrando em contato entre si, colapsando a cavidade uterina, algo que provoca esterilidade.
  • Ruptura uterina: quando o colo do útero se dilata muito em algum momento da intervenção.
  • Infecção: apesar dos instrumentos utilizados na curetagem serem esterilizados, os próprios germes da vagina podem passar para o interior do útero, causando assim uma infecção.
  • Deixar tecido no interior: depois de uma curetagem, deve-se extrair todo o tecido do endométrio que foi raspado. Caso isso não aconteça, essas partes apodrecerão e terão um alto risco infecção.
  • Hemorragia: é uma das principais complicações que podem acontecer, raramente é grave, pois as artérias que existem no útero não são muito grandes, mas deve-se prestar atenção se este sangramento não é muito abundante e nem frequente.

Se você esta tentando engravidar depois de fazer raspagem uterina, leia também: Após curetagem é mais fácil engravidar?

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a O que é curetagem e como se preparar, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Bibliografia
  • BARAD, David H., MD, MS, Director of Assisted Reproductive Technology, Center for Human Reproduction. Exames para distúrbios ginecológicos. Disponível em <https://www.msdmanuals.com/pt-pt/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-feminina/diagn%C3%B3stico-de-dist%C3%BArbios-ginecol%C3%B3gicos/exames-para-dist%C3%BArbios-ginecol%C3%B3gicos#v1157217_pt> Acesso em 22 de jan. 2019.
  • SECH, Laura; MISHELL JR, Daniel R.; SILVERSTEIN, Emily. Aborto. Disponível em <https://www.msdmanuals.com/pt-pt/casa/problemas-de-sa%C3%BAde-feminina/planejamento-familiar/aborto#v808243_pt> Acesso em 22 de jan. 2019.

Escrever comentário sobre O que é curetagem e como se preparar

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Nilsa Moreira
Curetagem dói? Meu médico falou pra eu fazer curetagem semiótica

O que é curetagem e como se preparar
O que é curetagem e como se preparar

Voltar ao topo da página