Partilhar

Dor no clitóris pós parto

 
Por Dra. Gennesis Gonzalez, Médica Cirurgiã. 27 agosto 2019
Dor no clitóris pós parto

O clitóris é um órgão do aparelho genital feminino visível na parte superior da vulva. Depois da gravidez e do parto, as mulheres sentem várias mudanças físicas e psicológicas, e entre as primeiras percebidas estão as que afetam os genitais femininos. No caso do clitóris, é possível que a sensibilidade do mesmo diminua e que, em alguns casos, possa até manifestar dor devido a alguns motivos que explicaremos em detalhe neste artigo. Continue lendo este artigo do ONsalus sobre a dor no clitóris pós-parto para descobrir todas as causas e as soluções adequadas.

Também lhe pode interessar: Dor no clitóris ao urinar: causas

O que é o clitóris?

O clitóris é o órgão sexual feminino capaz de gerar prazer sexual à mulher, essa é sua função exclusiva. Está localizado no interior da vagina, mas de forma visível, já que fica na parte superior da vulva. Para cumprir sua função conta com diversas terminações nervosas, glândulas e vasos sanguíneos.

Após a estimulação do clitóris, este pode aumentar de tamanho tornando-se visível nas dobras dos lábios menores que o recobrem levemente. Além disso, tem um tronco ou corpo que o faz permanecer unido ao osso púbico. Nesse lugar, há faixas de tecido erétil e uma área chamada de bulbo de clitóris, que também o torna uma área altamente vascularizada.

O clitóris caracteriza-se basicamente por ser uma área erógena e extremamente sensível. Através de sua estimulação, geram-se reações cerebrais que permitem aumentar a sensação de bem-estar na mulher e, ao ser mantida esta estimulação, é possível que a mesma chegue ao orgasmo.

Dor no clitóris pós parto: causas

Depois de passar o período do parto e durante a recuperação do mesmo, há mulheres que vão ao ginecologista afirmando sentir dor no clitóris pós-parto. pode estar ocorrendo por diferentes causas como:

  • Pressão fetal: muitas vezes, a dor no clitóris antes e depois do parto deve-se ao excesso de pressão que o feto exerce sobre os órgãos pélvicos. Além disto, durante o nascimento pode haver uma hiperextensão dos tecidos da vagina, entre eles o clitóris, aumentando sua sensibilidade durante um tempo. Ao terem transcorrido os primeiros 14 dias depois do parto, a dor e a sensibilidade diminuem.
  • Da mesma forma, na área do clitóris pode haver dor depois do nascimento se foi necessária a colocação de um catéter vesical para a eliminação da urina. Por ser uma área próxima, pode haver dor neste órgão.
  • É normal que haja sensibilidade e dor no clitóris após o parto devido ao alongamento e a manipulação durante o parto vaginal. Isto faz com que aumente seu tamanho durante alguns dias, gerando inicialmente disfunção sexual temporária.
  • Se o parto foi complexo e precisar de instrumentos, ou seja, parto por fórceps, é provável que haja muito mais dor e inflamação, tanto no clitóris quanto no resto da vagina.
Dor no clitóris pós parto - Dor no clitóris pós parto: causas

Como fica a vagina depois do parto normal?

Muitas mulheres grávidas têm dúvidas de como ficará sua área íntima depois do parto, 'minha vagina ficará maior?", "terei menos sensibilidade?". Estas são algumas das primeiras perguntas que uma mulher faz ao seu ginecologista sobre o parto. Além da dor no clitóris pós-parto, listamos quais são estas possíveis mudanças que podem ser causadas nos genitais femininos nessa fase:

  1. Tamanho: logicamente, depois do parto, a vagina ficará inchada e distendida por algum tempo devido a passagem do bebê, contudo, com o passar das horas a inflamação irá diminuindo e pouco a pouco a tonicidade desta área será recuperada. Certamente, a região vaginal ficará diferente depois do parto e os lábios maiores e menores serão sentidos diferentes durante algum tempo.
  2. Cor: durante a gravidez, a região da vagina e ânus fica escurecida. Uma vez passadas as primeiras semanas do puerpério, que é a etapa dos primeiros 40 dias depois do parto, a cor da região voltará ao normal.
  3. Episiotomia: na maioria dos casos, há um procedimento médico chamado de episiotomia, que consiste em realizar um corte na área denominada períneo, entre a vagina e o ânus, para permitir que a vagina fique ainda mais ampla e evite se rasgar durante o parto. Uma vez terminada esta etapa, o médico começa a fazer pontos de sutura através de um procedimento chamado de episiorrafia, em alguns casos e durante os primeiros dias haverá dor e incômodo. Se os cuidados com o puerpério são cumpridos de forma adequada, a probabilidade dos pontos do parto se abrirem é quase nula. De acordo com o Hospital Universitário “Virgen de Valve” de Sevilla, a ocorrência de episiotomia varia de 70–90%[1], muito acima dos 30% recomendado pela OMS.
  4. Secura vaginal: durante a fase da lactância, existem alguns hormônios em atividade, isto faz com que o ressecamento da vagina permaneça por algum tempo, o que se torna incômodo, sobretudo ao recomeçar as relações sexuais.
  5. Sensibilidade: é lógico que depois do parto a vagina fique muito mais sensível que o normal, em alguns casos, isto pode se prolongar com o tempo e ao recomeçar a vida sexual. Uma vez cumpridos os cuidados médicos, recomenda-se utilizar um lubrificante para que o ato sexual seja muito mais cômodo.
  6. Incontinência urinária: este transtorno é comum em muitas mulheres depois do parto, devido ao fato de que os músculos do assoalho pélvico ficam enfraquecidos após este processo. O bom é que costuma voltar ao normal após algum tempo, aproximadamente, a partir do sexto mês depois do parto.
  7. Sangramento: muitas vezes existem dúvidas em relação a este tema, contudo é verdade que depois do parto há a perda de uma espécie de fluxo similar ao sangue vaginal, que são chamados de lóquios, isto ocorrerá durante os primeiros dias e diminuirá progressivamente.

Vagina pós-parto: cuidados essenciais

Depois do parto, o médico recomendará algumas medidas de higiene feminina que devem se adequadas ao procedimento que foi realizado, ainda mais se foi necessário realizar a episiotomia. Pelo menos durante os primeiros 40 dias é recomendável:

  • Durante pelo menos a primeira semana, utilizar um desinfetante local suave e diluído em água para enxaguar bem a área.
  • Em vez de esfregar a vagina, deve-se secar a área com uma toalha fazendo pouca pressão.
  • Evitar utilizar toalhas úmidas ao menos durante um tempo para não irritar a área.
  • Uma vez passada a primeira semana de cuidado rigoroso, já é possível lavar a região vaginal normalmente utilizando o sabonete íntimo normal.
  • Trocar as compressas frequentemente enquanto houver a presença dos lóquios para evitar a proliferação de bactérias.
  • Lavar a região íntima desde a vulva até o ânus para evitar carregar micróbios da área anal até a vaginal.
  • Utilizar roupas íntimas de algodão.

Toda a vagina sofre mudanças durante a gravidez e depois do parto, em alguns casos é normal que haja dor e sensibilidade. Não deixe de cumprir as recomendações dos especialistas e realizar todos os cuidados da região vaginal depois do parto, para que assim possa ter uma rápida recuperação.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Dor no clitóris pós parto, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Referências
  1. Romero Martínez, J., & De Prado Amián, M. (2002). Episiotomía: ventajas e inconvenientes de su uso. matronas profesion, 8, 33-39.

Escrever comentário sobre Dor no clitóris pós parto

O que lhe pareceu o artigo?

Dor no clitóris pós parto
1 de 2
Dor no clitóris pós parto

Voltar ao topo da página