Partilhar

Espinha com pus: por que surgem e como tratar

 
Por Dra. Ivonne Nieves Blanco, Médica Cirurgiã. 30 abril 2020
Espinha com pus: por que surgem e como tratar

O aparecimento de lesões na pele, como as conhecidas espinhas com pus, é um dos principais motivo de consulta com os dermatologistas. São muitas as pessoas que tiveram estas lesões em algum momento de sua vida, sendo muito mais frequentes durante a adolescência.

O aparecimento de uma espinha com pus pode ocorrer em qualquer idade, de forma inesperada e são vários os fatores internos e externos que podem causá-la. É um dos problemas estéticos mais frequentes e, inclusive, com mais demandas por tratamentos estéticos. Neste artigo do ONsalus te explicaremos por que surgem as espinhas com pus e como tratá-las sem que afetem a saúde da sua pele.

Também lhe pode interessar: Espinhas na nuca: causas e como tratar

Espinha com pus: o que é

As espinhas com pus são lesões elevadas que surgem na pele, têm cor avermelhada e, como seu nome indica, contêm pus em seu interior. Estas espinhas se abrem de forma espontânea, deixando o pus sair e então cicatrizando.

São características durante os aparecimentos de acne e mais frequentes ainda durante a adolescência. Estas lesões resultadas da acne podem aparecer em qualquer idade, se seu início for durante a puberdade, esta pode se apresentar ao longo dos anos.

As espinhas com pus normalmente surgem em áreas do rosto, onde se encontram a maior quantidade de glândulas sebáceas, como a testa, o queixo e o nariz.

Espinha com pus: por que surgem e como tratar - Espinha com pus: o que é

Por que surgem espinhas com pus

São muitos os fatores capazes de desencadear o aparecimento de uma espinha com pus, vão desde causas internas até externas, entre as quais podemos mencionar:

  • Alteração das glândulas sebáceas, o que causa a produção excessiva de sebo.
  • Obstrução dos poros por acúmulo de células mortas, causando o aparecimento de pequenas pústulas.
  • Mudanças hormonais as quais os jovens e adolescentes estão sujeitos.
  • Uma alimentação com alto conteúdo em gordura pode ser um gatilho para que apareçam estas lesões.
  • Predisposição genética: é importante conhecer o histórico familiar para determinar se houve casos destas lesões na família.
  • Exposição frequente a situações de estresse.
  • Falta de medidas higiênicas adequadas

Existem outras causas que alteram o ritmo normal da pele e geram o aparecimento de espinha com pus:

  • Consumo de alguns medicamentos, como esteroides, estrógenos e testosterona.
  • Excesso de umidade e suor.
  • A aplicação de alguns produtos de beleza, como maquiagem, ou produtos para o cabelo com alto conteúdo em gordura.

Algumas infecções cutâneas, como a dermatite por contato podem levar a geração deste tipo de espinhas, especialmente, onde a pele fica em atrito com peças de roupa. Se a temperatura for muito alta, o suor umidifica a roupa e esta, por sua vez, fica em contato com a pele.

Como tratar espinhas com pus

Para tratar espinhas com pus devem ser seguidas algumas recomendações sugeridas pelo dermatologista após sua avaliação, onde ele verificará a presença da lesão e em quais condições se encontra, a fim de eliminar a espinha sem complicações e evitando sua disseminação até outras áreas. O ideal é fazer um tratamento estético com controle dermatológico, desta forma, serão conseguidos resultados melhores.

A seguir, mostramos as medidas que devem ser adotadas para curar as espinhas com pus mais rapidamente.

Limpeza

Deve-se realizar uma limpeza na área a ser tratada, começando por aplicar vapor onde está a espinha, desta forma, a pele é suavizada para extrair o material contido nela. Depois de sair do banho é o momento ideal para fazer este procedimento.

Recomenda-se utilizar um material que evite o contato direto das unhas sobre a espinha, como o algodão ou gaze umedecida com álcool. Com isso, será possível limpar a espinha e a área em volta dela, sempre cuidando para não fazer muita pressão e machucar a pele, evitando assim se contaminar com o material extraído da espinha.

Drenar

A espinha deve ser drenada até que seja visto sangue, isto indicará que já removeu o material purulento que estava armazenado nela.

Você deve levar em conta que, dependendo das condições em que esteja a espinha, esta poderá estar mais dolorida do que o normal. De acordo com o grau de infecção em que estiver, podem ser necessários outros utensílios, como uma agulha previamente desinfectada com álcool e calor, para drenar melhor o material purulento que está no interior da espinha.

Aplicar um adstringente

Depois de ter drenado a espinha é necessário realizar uma nova limpeza na área, para assegurar uma boa higiene do local e evitar uma reinfecção da lesão.

Somente assim será possível fechar o poro, e isto é feito passando produtos com efeito adstringente.

Após este procedimento, notará que sua pele estará avermelhada e inflamada. Para eliminar estes sintomas pode utilizar remédios caseiros como:

  • Limão com sal: tem um grande poder adstringente, além de limpar a área.
  • Gelo: a aplicação de gelo na área manipulada contribui para diminuir a inflamação, isto pode ser feito aplicando gelo envolto em uma toalha sobre onde foi feita a drenagem durante cerca de 10 minutos.
  • Aloe vera: tem propriedades adstringentes e reduz a inflamação. Aplique um pouco de gel de aloe vera na área e deixe secar por conta própria.

Saiba mais sobre estes remédios caseiros no vídeo seguinte:

Como prevenir espinhas com pus

Para prevenir o aparecimento de espinhas com pus ou, uma vez que apareçam, sejam eliminadas de forma rápida, devem ser adotadas as seguintes medidas:

  • Aplicar medidas higiênicas lavando o rosto com água e sabonetes neutros ou suaves, especiais para este tipo de lesão.
  • Evitar manipular as espinhas, isto se deve ao fato de que ao drená-las com suas próprias mãos, o material que está infectado pode contaminar ainda mais a área já inflamada.
  • Evitar dormir com maquiagem, isto favorece o aparecimento de espinhas e até mesmo de outras lesões, como manchas e rugas prematuras.
  • Usar protetor solar para evitar os danos causados pelos raios ultravioletas e prevenir o aparecimento de complicações.
  • Evitar ambientes úmidos e contaminados.
  • Levar uma vida tranquila, evitando o estresse.
  • Manter uma alimentação balanceada. Os bons hábitos alimentares permitem uma melhor regeneração da pele.

Se este for o seu caso e você sofre frequentemente de espinhas com pus, não hesite em ir ao dermatologista, ele se encarregará de te oferecer toda a ajuda que precisar, de acordo com os sintomas que apresentar, e te orientará sobre como prevenir o aparecimento de novas espinhas de pus.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Espinha com pus: por que surgem e como tratar, recomendamos que entre na nossa categoria de Pele, cabelo e unhas.

Escrever comentário sobre Espinha com pus: por que surgem e como tratar

O que lhe pareceu o artigo?

Espinha com pus: por que surgem e como tratar
1 de 2
Espinha com pus: por que surgem e como tratar

Voltar ao topo da página