menu
Partilhar

Quanto tempo demora para curar uma fissura anal?

 
Por Redação ONSalus. 5 julho 2021
Quanto tempo demora para curar uma fissura anal?

As fissuras anais são lesões realmente dolorosas e incômodas para aquelas pessoas que as sofrem, tanto na hora de defecar quanto no dia a dia.

O problema das fissuras anais é que costumam ser tratadas somente superficialmente, com cremes ou medicamentos. Inclusive, podem ser tratadas cirurgicamente, contudo, se você não tratar a causa pela qual a fissura está ali, dificilmente alcançará uma cura real. Quanto tempo demora para curar uma fissura anal? Isso vai depender fundamentalmente de sua causa.

Neste artigo do ONsalus, te explicamos por que ocorre uma fissura anal e o que você pode fazer para acabar com ela.

O que é uma fissura anal

As fissuras anais são rupturas da fina camada que recobre o ânus, chamada mucosa, inclusive pode se estender até os músculos do esfíncter anal.

Podem ser agudas, quando apareceram há pouco tempo e crônicas quando já têm mais de 8 semanas, mas tenha a certeza de que ambas podem melhorar se conseguir identificar por que aconteceram e corrigir a causa.

Quanto tempo demora para curar e cicatrizar uma fissura anal?

Uma fissura anal pode ocorrer por muitos motivos diferentes e, basicamente, sua duração dependerá da correção da causa pela qual apareceu.

Você pode usar cremes, pomadas, aumentar a ingestão de fibras e, inclusive, recorrer a uma cirurgia, mas se não corrigir o motivo pelo qual machucou o ânus, é muito difícil que tudo volte realmente ao normal.

Vejamos quais são as causas de uma fissura anal e quanto tempo pode demorar para curar.

Preste atenção se você tem um ou mais fatores que possam causá-la, já que isto afetará diretamente seu tratamento. Se tomar medidas que possam reverter a causa, melhorará mais rápido do que acha, mesmo se a fissura for crônica.

Constipação

Frequentemente, quem sofre de constipação pensa que seu corpo funciona assim e pronto, mas seus hábitos têm muito a ver com isso. Costumam sofrer de prisão de ventre aquelas pessoas que:

  • Seguram gases, matéria fecal ou urina quando tem vontade de eliminá-los.
  • Consomem pouco ou nenhum cereal integral (arroz, aveia, trigo, milho, centeio, cevada, quinoa).
  • Consomem poucas ou nenhuma fruta e verdura da estação e maduras.
  • Não praticam atividades físicas.
  • Não dormem apropriadamente a noite.

Da mesma forma, forçar as evacuações também não é saudável. É melhor corrigir os hábitos acima mencionados para poder defecar de forma adequada e sem esforço.

Mais adiante, você verá alguns conselhos práticos para melhorar de forma eficaz a constipação. Se conseguir fazer isso, a fissura com certeza curará por si só em pouco tempo, desde alguns dias até algumas semanas, dependendo da gravidade da fissura.

Diarreia crônica

Embora se trate de algo completamente contrária à situação anterior, defecar muito e várias vezes ao dia irrita o ânus e pode gerar as fissuras.

Este caso, é tratado da mesma forma: assim que sua matéria fecal voltar ao normal, a fissura deve curar sozinha em alguns dias ou semanas.

Parto

Durante a gravidez e, principalmente, após o parto, uma mulher pode sofrer de fissura anal. Por um lado, pode ser causada pelo esforço do próprio parto, mas isto não explicaria o porquê das mulheres que fazem cesárea também poderem sofrê-la.

Uma fissura, nesses casos, costuma estar associada ao fato de que esta etapa da vida costuma ocorrer com maior ressecamento e, se não forem tomadas as medidas adequadas, pode ocorrer constipação e diversas dificuldades durante o parto, as quais podem levar ao surgimento destes tipos de lesões.

Quando o ressecamento no corpo é corrigido, normalmente a constipação é revertida, isto é fundamental para que, em pouco tempo, sua fissura se cure. Esta cura também pode demorar desde alguns dias até várias semanas, dependendo da profundidade da fissura, de como estiver dormindo, se alimentando e dos movimentos intestinais.

Relações sexuais

Se são mantidas relações sexuais anais, é provável que ocorram fissuras nesta parte do corpo, pelo simples fato deste órgão não ser fisiologicamente preparado para isso.

É possível que se você continuar praticando sexo anal, a fissura não cure completamente e se torne crônica. A cura das lesões que são produzidas desta forma também podem ser facilmente revertidas e em pouco tempo se evitar irritar a região anal.

Se deseja continuar mantendo estas relações, pelo menos deve esperar até que a fissura se cure, mas isto não garante que ela não possa voltar a aparecer depois.

Doenças do cólon

Algumas doenças inflamatórias como a doença de Crohn ou infecciosas, como a sífilis ou a tuberculose, podem fazer com que a mucosa do reto e ânus fiquem inflamadas. Quando isto acontece, é possível que seja gerada uma fissura.

Neste caso, as lesões costumam se tornarem crônicas e serem mais difíceis de reverter porque, precisamente, é preciso tratar a causa pela qual apareceu esta doença no tubo digestivo. É importante identificar a principal causa que costuma estar relacionada com os hábitos e estados emocionais, por exemplo, revisar os hábitos alimentares, de sono, exercícios, e acabar com o excesso de preocupação, o estresse, a ansiedade, etc.

Câncer anal

É muito raro, mas uma fissura pode ser uma possível manifestação de um tumor anal. É frequentemente associado a outros sinais como sangramento crônico, perda de peso, entre outros.

Neste caso, também pode melhorar se você realmente mudar os hábitos que levaram ao aparecimento do tumor.

Costuma-se, além disso, serem aplicados tratamentos como radioterapia, quimioterapia e cirurgia, o que é fundamental vir acompanhado de uma alimentação saudável, bom descanso e acompanhamento, conforme a pessoa precisar.

As fissuras anais são perigosas?

Não é possível dizer que as fissuras anais sejam perigosas por si só, mas podem ser realmente incômodas para quem as sofre.

Estes tipos de lesões avisam que seu corpo está em desequilíbrio. Você pode prestar atenção a este aviso e corrigir os hábitos que geraram este problema ou também apenas tratar a fissura como um feito isolado, que nada tem a ver com seus hábitos.

Quando você somente vê a fissura e não vê seu corpo como um conjunto, podem acontecer duas coisas:

  • Que a fissura seja curada com o tratamento, mas mais para frente apareçam outros transtornos relacionados com seu desequilíbrio, como por exemplo, continue com constipação e depois de alguns anos apareçam divertículos no cólon.
  • Que a fissura não seja curada e piore, afetando a camada muscular e se tornando crônica.

Entretanto, você deve prestar atenção se uma fissura anal se torna crônica, não é curada, sangra frequentemente e, ainda pior, se não dói, porque também pode se tratar de um câncer de ânus. Embora raro, deve ser diagnosticado a tempo para que o tratamento seja mais fácil e eficaz. Esse é o único caso em que uma fissura pode ser realmente perigosa.

Talvez você possa se interessar por este outro artigo sobre bolinha no ânus: o que pode ser?.

Como curar uma fissura anal

Como comentamos, é fundamental corrigir as causas pelas quais a fissura apareceu, portanto, para que seja realmente curada:

Alimente-se de forma saudável

Incluindo cereais integrais, frutas, verduras e legumes frescos. Evite alimentos processados, refinados (açúcar, farinha e sal branco), óleos vegetais, álcool, café, chá preto, tabaco, excesso de laticínios e carnes.

Não segure o que precisa eliminar

Não segure seus gases, urina e matéria fecal. Esses impulsos, quando interrompidos, danificam as estruturas internas corporais, favorecendo a prisão de ventre.

Pratique exercícios

É recomendável praticar pelo menos 30 minutos de exercícios por dia, de acordo com sua condição física. Tanto a falta quanto o excesso de atividades físicas não são saudáveis e também pode provocar uma constipação.

Banhos de assento

A água morna na região genital pode ajudar a melhorar a circulação e aliviar os sintomas de uma fissura anal. Você pode realizá-los apenas com água morna ou aplicar uma erva, como a malva ou a calêndula, ambas são excelentes anti-inflamatórios.

Tratamento médico

Se você for a um profissional, ele pode te indicar um creme ou pomada para aliviar temporariamente os sintomas:

  • Pomada anestésica: a base de lidocaína, por exemplo. Não se deve abusar no uso destas, mas podem ser úteis em uma primeira etapa, até que possa ir corrigindo seus hábitos.
  • Nitroglicerina: serve para melhorar a circulação sanguínea da região anal, mas tem diversos efeitos colaterais em geral, já que se trata de uma medicação que aumenta a vasodilatação. Entre os mais frequentes, estão as dores de cabeça. Sugiro, dentro do possível, evitá-la.
  • Anti-hipertensivos: esta medicação utilizada para diminuir a tensão arterial pode ser usada para relaxar o músculo do esfíncter anal. São receitados em casos específicos e podem ser administrados via oral ou externa. Os mais utilizados são o diltiazem e nifedipina.
  • Botox: a injeção de toxina botulínica paralisa diretamente o músculo anal, assim não aparecerão os espasmos musculares dolorosos, mas isto também não soluciona realmente o problema, apenas trata o sintoma.

Tratamento cirúrgico

Quando os tratamentos médicos não dão resultados, costuma-se recorrer à cirurgia. Trata-se de fazer uma incisão em uma área do esfíncter anal a fim de evitar as contrações do músculo, o qual costuma causar dor e dificultar a cura da fissura.

Comparado com os cremes e medicamentos orais, o tratamento cirúrgico é o que dá os melhores resultados em uma fissura crônica, mas, como se pode imaginar, cortar o músculo que permite decidir voluntariamente ir ou não defecar pode trazer, como consequência, a incontinência, ou seja, defecar sem querer fazer isso.

Essa incontinência não aparece em todos os casos, mas podem aparecer consequências a longo prazo se não corrigir, por exemplo, a constipação.

Agora que você sabe que o tempo que demora para curar uma fissura anal varia de acordo com a causa desta condição, mas que dura entre alguns dias e algumas semanas, talvez você possa se interessar por este outro artigo sobre sangramento anal: causas e tratamentos.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Quanto tempo demora para curar uma fissura anal?, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema digestivo.

Bibliografia
  • Nelson, R. L., Manuel, D., Gumienny, C., Spencer, B., Patel, K., Schmitt, K., ... & Yeboah-Sampong, A. (2017). A systematic review and meta-analysis of the treatment of anal fissure. Techniques in coloproctology, 21(8), 605-625.
  • Nelson, R. L., Thomas, K., Morgan, J., & Jones, A. (2012). Non surgical therapy for anal fissure. Cochrane database of systematic reviews, (2).
  • Quigley, E. M. (2007). Impact of pregnancy and parturition on the anal sphincters and pelvic floor. Best practice & research clinical gastroenterology, 21(5), 879-891.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Quanto tempo demora para curar uma fissura anal?
Quanto tempo demora para curar uma fissura anal?

Voltar ao topo da página