menu
Partilhar

Retenção seminal - Prós e contras

 
Por Redação ONSalus. Atualizado: 13 agosto 2021
Retenção seminal - Prós e contras

O esperma ou sêmen costuma ser eliminado no clímax ou momento de maior excitação durante uma relação sexual ou masturbação. Esta substância é formada a partir de estímulos hormonais, tornando o homem fértil e pode mostrar como todo seu corpo está. Mas o que acontece quando não se permite sua saída ao estar prestes a ejacular? O que acontece se durante semanas, meses ou até mesmo anos um homem não ejacular? É possível ter orgasmos sem ejacular? Todas estas são perguntas que muitos homens se fazem e que têm a ver com diferentes aspectos da sexualidade masculina, tanto fisicamente quanto mental e emocionalmente.

As respostas a estas perguntas e muitas outras você pode encontrar neste artigo do ONsalus em que falaremos sobre a retenção seminal: : o que acontece se o esperma fica acumulado?

Também lhe pode interessar: Ejaculo pouco, isso é um problema?

O que acontece se o sêmen fica acumulado?

O esperma é um líquido emitido pelos órgãos sexuais masculinos. Também conhecido como sêmen, contém uma grande quantidade de minerais, hormônios, gorduras e espermatozoides, entre outras substâncias.

O esperma normalmente é expelido após um orgasmo, o qual vem após o estímulo psíquico e físico. O normal é que, após um estímulo contínuo, sejam liberados entre 2 a 4 ml de sêmen no clímax ou momento de maior excitação sexual.

Agora, o esperma pode ficar acumulado no corpo? O que acontece se ocorrer a retenção seminal? Diante destas perguntas, é importante abordar quatro assuntos bem diferentes entre si, já que têm efeitos muito diferentes em seu organismo. Eles são:

  1. Impedir a saída do esperma que está prestes a ser expelido após o orgasmo.
  2. Não manter relações sexuais ou masturbação e, portanto, não expelir o esperma.
  3. Não ejacular pensando em engravidar a companheira.
  4. Chegar ao orgasmo sem ejaculação através de técnicas de controle mental.

Vamos detalhar cada um desses casos em que há retenção seminal a seguir:

1. Conter o sêmen

Ao fazer sexo, ou durante a masturbação, é atingido o ponto mais alto de excitação, que geralmente termina com um orgasmo e a emissão de sêmen.

Neste caso, através de manobras físicas como, por exemplo, apertar o pênis, se contém a eliminação de esperma. Isto é algo bastante prejudicial para o organismo, pois inibe a necessidade fisiológica do seu corpo de eliminar uma substância que está prestes a ocorrer.

Esse corte brusco de movimento no seu organismo pode gerar sintomas imediatos como dor na região genital, sensação de peso ou inchaço, desconforto ao urinar e, até mesmo, ao deitar de barriga para baixo. Caso esta prática seja repetida vez ou outra, podem ser provocados problemas mais crônicos nos órgãos genitais.

É por isso que esta prática é totalmente desaconselhada. Caso esteja tendo relações sexuais ou se masturbando, o sêmen deve ser eliminado para aliviar a tensão nesta região. Assim, a retenção seminal nessas situações não é nada recomendada.

2. Não expelir esperma

Outro assunto bem diferente é não ter relações sexuais nem se masturbar, neste caso, não se expele o esperma ou, pelo menos, não de propósito.

Seu corpo é esperto neste sentido. O esperma, como comentamos, é formado por espermatozoides e por diferentes líquidos que são produzidos nos genitais.

Os espermatozoides são produzidos pelo estímulo hormonal nos testículos e, ali, ficam aguardando até que sejam eliminados. Durante a excitação sexual, vão sendo emitidos os outros líquidos, os quais se unem com os espermatozoides e todos são eliminados na ejaculação, mas o sêmen como um todo não fica acumulado no corpo indefinidamente, sendo produzido conforme o homem:

  • É estimulado, tanto mental quanto fisicamente.
  • Leva um estilo de vida saudável.

Este último é essencial para que os hormônios sexuais masculinos e o esperma produzido sejam saudáveis, com uma contagem normal de espermatozoides saudáveis. Isto também faz com que todo o organismo seja mantido saudável com bastante energia, o que é essencial para evitar qualquer tipo de doença.

Portanto, se você não está sendo estimulado sexualmente e utiliza sua energia e concentração em outros aspectos da sua vida, o esperma não fica acumulado nem te prejudica, por mais que passem semanas, meses ou, inclusive, anos sem ter relações sexuais.

E se, por algum motivo tiver muito esperma, seu organismo o eliminará, o que às vezes acontece durante a noite, nos chamados "sonhos molhados" ou polução noturna masculina.

3. Em busca de uma gravidez

Se o objetivo é conseguir engravidar sua parceira, é desejável que o homem conserve seu esperma por meio da retenção seminal para que ele fique adequado. É claro que um estilo de vida saudável é fundamental para a fertilidade.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), uma abstinência sexual de 2 a 7 dias melhora a qualidade do esperma, por isso, muitos especialistas indicam que para conseguir ter uma gravidez é bom ter relações sexuais perto do 14º dia do ciclo menstrual feminino e a cada 48 horas, e não diariamente.

A abstinência sexual para favorecer a procriação também é aconselhada por medicinas antigas, como o Aiurveda hindu, sendo que nele as indicações vão ainda mais longe.

Para conseguir um excelente estado do sistema reprodutor e para que nasçam crianças saudáveis, o Aiurveda aconselha se preparar durante seis meses, favorecendo a produção de esperma no homem e dos óvulos na mulher, e melhorando o estado geral do corpo. Após estes seis meses de preparo, é sugerido um mês de abstinência sexual, durante a qual se fortalece o corpo e, especialmente, o sistema reprodutor.

4. Orgasmo sem ejaculação

Através de diferentes técnicas de controle mental enquanto se tem relações sexuais, busca-se chegar ao orgasmo, mas conservando o esperma. Isto é feito precisamente com o objetivo de conservar a energia vital e fortalecer o corpo, a mente e o espírito.

De acordo com diferentes filosofias orientais, poder controlar isto pode fazer com que uma pessoa utilize esta energia para tratar alguma doença ou, inclusive, ter uma vida longeva e saudável.

Aqueles que incentivam a prática do orgasmo sem ejaculação afirmam que o homem adquire mais confiança e controle de si mesmo, passando até mesmo a aumentar a atração sexual que as outras pessoas podem sentir por ele.

Além disso, especialistas também falam sobre os orgasmos de corpo inteiro. Ao controlar a ejaculação, não focam toda a excitação na zona genital e, portanto, os orgasmos também costumam envolver a mente, as emoções e outras áreas do corpo.

Neste caso, quando um homem consegue controlar a excitação, isto é, quando conscientemente diminui as chances de estímulo no corpo, não acumula esperma, conservando sua energia vital pela retenção seminal.

Por estas razões e a fim de conservar essa energia vital, muitas filosofias orientais e inclusive algumas ocidentais, desaconselham a masturbação frequente e o estímulo com pornografia. Além disso, tem sido demonstrado que a pornografia cria imagens distorcidas da realidade, o que leva à baixa autoestima ao tentar ter relações sexuais reais, dificuldade na intimidade e expectativas que não são reais.

Existem centros e profissionais que ensinam estas e outras práticas de controle mental, mas como em tudo, há aqueles que fazem isso de forma séria e aqueles que não. Você deve saber, além disso, que por mais que tenha os melhores especialistas ao seu alcance, é uma técnica que leva um tempo de aprendizagem, trabalho e concentração.

O que acontece se ocorre a retenção seminal?

Como comentamos, depende de como este esperma está armazenado.

Se você está tendo relações sexuais ou se masturbando e interrompe a ejaculação (fazendo isso frequentemente), pode se tornar algo doloroso e trazer uma série de problemas no momento ou, inclusive, em fases futuras da sua vida.

No entanto, se adquirir técnicas de treinamento mental, é possível chegar ao orgasmo e não ejacular. Neste caso, seu corpo pode ser beneficiado por conservar essa energia vital.

A retenção seminal pode gerar doenças?

Se você retém o esperma que está prestes a ser eliminado durante o orgasmo, pode sentir alguns sintomas desagradáveis no momento, tais como:

  • Dor no pênis.
  • Dor nos testículos.
  • Dor na parte inferior da barriga.
  • Sensação de pressão na zona genital.
  • Inchaço.
  • Ardência para urinar.
  • Desconforto ao caminhar.

Não é algo muito falado, mas se você fizer a retenção seminal interrompendo a ejaculação após o orgasmo com frequência, podem aparecer alguns transtornos mais graves, que inclusive podem se tornar crônicos, tais como:

  • Infecções urinárias.
  • Infecções prostáticas.
  • Incontinência urinária.
  • Problemas de ereção.
  • Dificuldades ao tentar expelir o sêmen.
  • Infertilidade.
  • Constipação.
  • Hemorroidas.

Desta forma, ficam claros os prós e contras da retenção seminal. Tudo depende do seu objetivo e como está fazendo isso.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Retenção seminal - Prós e contras, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor masculino.

Bibliografia
  • Shindel, A. W. (2019). Anejaculation: relevance to sexual enjoyment in men and women. The journal of sexual medicine, 16(9), 1324-1327.
  • Santi, D., Spaggiari, G., Gilioli, L., Potì, F., Simoni, M., & Casarini, L. (2018). Molecular basis of androgen action on human sexual desire. Molecular and cellular endocrinology, 467, 31-41.
  • Tonde, S. S., Gandhi, M., & Patil, Y. R. (2019). Prevalence of Shukra vega dharana in an Indian population: A cross sectional survey protocol. Journal of Ayurveda and integrative medicine, 10(2), 119-125.
  • Brody, S., Costa, R. M., & Hess, U. (2012). Immature psychological defense mechanisms and the misrepresentations of some sex researchers. Sexual and Relationship Therapy, 27(3), 243-259.
  • Brody, S., & Krüger, T. H. (2006). The post-orgasmic prolactin increase following intercourse is greater than following masturbation and suggests greater satiety. Biological Psychology, 71(3), 312-315.
  • Costa, R. M. (2012). Masturbation is related to psychopathology and prostate dysfunction: Comment on Quinsey (2012). Archives of sexual behavior, 41(3), 539-540.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Retenção seminal - Prós e contras
Retenção seminal - Prós e contras

Voltar ao topo da página