Partilhar

Verrugas no ânus: causas e tratamento

Por Nídia do Carmo, Editora e redatora ONsalus. Atualizado: 27 março 2019
Verrugas no ânus: causas e tratamento

As verrugas genitais são massas suaves que surgem na pele e nas mucosas do pênis, na vulva, no colo do útero, na vagina, na uretra e dentro ou em torno do ânus. Estas lesões cutâneas são altamente contagiosas e são transmitidas pelo contato direto de pele com pele, geralmente durante qualquer tipo de relação sexual: sexo vaginal, oral ou anal. As verrugas não costumam aparecer imediatamente após o contágio mas sim, na maioria dos casos, três semanas após o ato sexual.

As verrugas no ânus podem ser lesões planas ou com relevo e de cor carne, podendo ainda parecer um pequeno tumor com formato de couve-flor. Esta condição pode causar prurido, aumento do fluxo vaginal, umidade na zona genital e sangramento após a relação sexual. Sugerimos que você continue lendo esse artigo do ONsalus para saber mais sobre as verrugas no ânus: causas e tratamento.

Também lhe pode interessar: Verruga filiforme: causas e tratamento

Verrugas no ânus, o que pode ser?

O que causa verrugas no ânus? As verrugas no ânus, mais conhecidas como condilomas, são lesões cutâneas derivadas da infecção pelo vírus do papiloma humano (HPV). Existem mais de 70 tipos de HPV: alguns não causam verrugas, outros provocam condilomas em outras partes do corpo como a boca e a língua e outros causam verrugas genitais. Alguns tipos do vírus do papiloma humano são considerados de alto risco e podem ser consideravelmente prejudiciais para a saúde, como é o caso de algumas cepas causadoras de verrugas no ânus que podem provocar câncer anal. Saiba mais sobre o papiloma vírus humano em mulheres aqui.

Uma pessoa é mais propensa a contrair verrugas anais se tem múltiplos parceiros sexuais, se é sexualmente ativa desde muito jovem, se consome tabaco ou bebidas alcoólicas, se possui uma infecção viral ou herpes, se sofre de estresse e se apresenta um sistema imunológico debilitado como o HIV. O sexo anal é a principal via de transmissão de todos os tipos de HPV que provocam verrugas no ânus.

Transmissão de HPV que provoca verrugas no ânus

  • O contágio é feito de uma pessoa para a outra através do contato sexual anal.
  • Uma pessoa infetada com HPV que não apresenta verrugas genitais pode, do mesmo jeito, transmitir a doença. Por esse motivo, a ausência de verrugas não diminui o risco.
  • Depois da infecção por HPV, as verrugas podem aparecer entre 6 semanas e 6 meses depois. No entanto, algumas pessoas apenas observam as primeiras lesões anos após o contágio. Existem também casos de pessoas infetadas que nunca são acometidas por verrugas no ânus em toda a sua vida.
  • Uma pessoa infectada por outra com verrugas genitais não tem, necessariamente, por que desenvolver esses condilomas.
  • Em alguns casos, pessoas entraram em contato direto com o vírus e o sistema imunitário delas eliminou-o por completo do organismo.
Verrugas no ânus: causas e tratamento - Verrugas no ânus, o que pode ser?

Verrugas no ânus, o que fazer?

Encontrar verrugas no ânus pode ser uma situação muito preocupante, sobretudo por toda a informação negativa que encontramos sobre o HPV e a sua relação com os diferentes tipos de câncer. A primeira coisa a fazer é encontrar após encontrar uma dessas lesões é manter a calma e evitar pensar o pior pois, como mencionamos antes, existem muitos tipos diferentes de vírus e nem todos representam um risco de doença cancerígena.

Se você encontrar verrugas no ânus ou nas paredes externas circundantes, o primeiro passo é agendar uma consulta com o seu médico para fazer uma bateria de exames completa que permita determinar a sua origem. Se forem provocadas por um caso de papiloma humano em mulheres, será necessário fazer também exames para estudar o aparelho reprodutor feminino como a citologia (que permite conhecer o estado do útero) e uma colposcopia para detetar verrugas genitais que não podem ser vistas a olho nu, tanto no útero como no canal anal.

Sempre que alguém tem verrugas no ânus, é essencial fazer uma prova de ADN do vírus do papiloma humano para determinar qual o tipo de vírus que infectou a pessoa e, assim, saber se ela corre o risco de desenvolver câncer anal. Do mesmo jeito, será necessário fazer exames para descartar câncer vaginal, anal ou de vulva sempre que forem encontradas verrugas no ânus.

Como tratar verrugas no ânus

Como, neste caso, as verrugas genitais se encontram no ânus, a condição deve ser tratada por um especialista proctólogo. Quando as verrugas são muito visíveis, é necessário tratá-las de imediato já que, além de serem pouco estéticas, são altamente contagiosas. Existem muitas maneiras de tratar verrugas no ânus e as mais comuns são:

  • Medicamentos tópicos ou injetados por um especialista médico.
  • Creme tópico que a pessoa deve aplicar no ânus várias vezes por semana.

As opções de tratamento para verrugas no ânus incluem:

Cauterização de verrugas no ânus

É uma técnica muito usada para remover tecidos indesejados, cauterizar, selar vasos sanguíneos e aquecer qualquer tecido com eletricidade. Quando se cauteriza uma parte do corpo, é usada uma pequena sonda com corrente eléctrica que destrói o tecido. É um procedimento seguro que não implica riscos graves. No geral, as verrugas no ânus são cauterizadas no consultório médico.

Tratamento de verrugas a laser

Através de um raio de luz intenso, os tecidos são cortados, cauterizados ou destruídos, sendo que nestes casos o ideal é cauterizar as verrugas no ânus. O tratamento não representa nenhum risco para a saúde, mas pode provocar dor, sangramento e cicatrizes. O tempo de recuperação é muito mais rápido que o de uma intervenção cirúrgica. Na verdade, na maioria das vezes em que o tratamento a laser é usado em casos de HPV, são intervenções de tipo ambulatório (ou seja, que não deixam o paciente acamado).

É importante que, se uma pessoa apresenta verrugas genitais, converse com os seus companheiros sexuais para que eles sejam examinados e recebam tratamento adequado em caso de infecção. Não esqueça que, mesmo que uma pessoa infectada por HPV não apresente verrugas no ânus nem em qualquer outro sítio, ela deve ser tratada do mesmo jeito para evitar complicações.

Assim que as verrugas tenham sido eliminadas do ânus, é essencial visitar o médico novamente para verificar que não resta nenhuma lesão cutânea e que todas foram cauterizadas corretamente. Também é importante examinar o canal anal duas vezes por ano, como mínimo, para vigiar qualquer anomalia celular que possa surgir e agir a tempo. Quando existe uma lesão pré-cancerosa é muito importante vigiar o seu progresso a cada três meses caso não tenham sido tratadas de imediato com cirurgia.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Verrugas no ânus: causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Pele, cabelo e unhas.

Escrever comentário sobre Verrugas no ânus: causas e tratamento

O que lhe pareceu o artigo?
2 comentários
Belcholina Lau
Olá, percebi algo no ânus faz alguns dias , parece uma verruga , mas porém está grande e é bem branco , durinha . Eu não sinto nada , não sinto dor e nem coceira , mas estou com medo , medo até de ir ao médico. O que pode ser ?
A sua avaliação:
Diego Novais
Não sabia nem o que era HPV, meu irmão está sofrendo muito com essas verrugas no ânus.

Verrugas no ânus: causas e tratamento
1 de 2
Verrugas no ânus: causas e tratamento

Voltar ao topo da página