Partilhar

Calor no rosto: causas e tratamento

 
Nídia do Carmo
Editora e redatora ONsalus
Calor no rosto: causas e tratamento

A sensação de calor no rosto não é algo muito comum e, quando surge, é normal que seja preocupante. Em muitos casos, é acompanhada de outros sintomas, físicos ou não. Pode ser provocada por diferentes causas, sendo por exemplo comum sentir quentura no rosto quando temos vergonha em um determinado momento, podendo até acontecer ficar com o rosto vermelho e quente. No entanto, quando ocorre por um período longo de tempo sem desaparecer. é provável que o calorão no rosto se deva a outra causa como algum nervo danificado. Múltiplas condições podem estar na origem desse sintoma, mas todas são tratáveis. É importante consultar o médico com urgência se, além do calor, você não consegue mover a cara (paralisia). Nesse artigo do ONsalus, identificamos as causas e tratamentos do sintoma, respondendo à pergunta: calor no rosto, o que pode ser?

Também lhe pode interessar: Formigamento no rosto: causas

Queimação no rosto

A sensação de calor excessivo no rosto pode ser descrita como uma uma sensação de calor em toda a cara ou em uma zona determinada. As pessoas que sofrem desse problema não só sentem calor como, além disso, também descrevem os sintomas como agulhas, o que é associado ao adormecimento. Também se pode sentir uma espécie de formigamento no rosto, o que é associado a parestesia - um conjunto de sintomas ou sensações dentre os quais se incluem o calor ou frio, coceira ou formigamento e que normalmente se devem a problemas no sistema nervoso ou, por vezes, circulatório.

Esses sintomas podem surgir como uma ardência no rosto que pode mudar para formigamento e adormecimento ou simplesmente sensação de calor constante. Qualquer sensação desse gênero se deve a um sintoma relacionado com um nervo sensorial danificado.

Calor no rosto, o que pode ser?

Várias causas diferentes podem justificar o aparecimento da sensação de rosto quente e, na maioria dos casos, essa sensação é um sintoma de alguma doença. As principais causas que podem provocar esse sintoma são:

Nevralgia do trigêmeo

A nevralgia do trigêmeo, também chamada de neuralgia do trigêmeo, é conhecida como tique doloroso. É uma doença crônica que afeta um nervo cranial chamado nervo trigêmeo, daí o seu nome. É um dos nervos mais longos da cabeça e se encarrega de levar as sensações de tacto e dor desde a cabeça até ao cérebro.

A pessoa que sofre desse problema sente calor repentino no rosto que costuma ser muito forte e esporádico. Além disso, sente fores fortes que se parecem a cãibras eléctricas que podem interferir na vida diária. Lavar os dentes ou uma pequena corrente de ar (frio ou quente) podem despoletar o aparecimento da dor ou ardência no rosto.

O sintoma pode se manifestar em qualquer idade, mas a maioria dos pacientes que sofrem do problema superam os 50 anos. As causas exatas ainda não foram determinadas, mas é muito provável que se deva a um vaso sanguíneo que está comprimindo esse nervo.

Puede producirse a cualquier edad, pero la mayoría de pacientes que lo padecen superan los 50 años. No se han determinado unas causas exactas, pero es muy probable que se deba a algún vaso sanguíneo que está comprimiendo este nervio.

Rosácea

A rosácea é um problema crônico da pele. É fácil de identificar, já que a sua principal característica é a vermelhidão no rosto. Também podem surgir protuberâncias ou espinhas como acne, mas de diferentes propriedades. Existem dois tipos de rosácea, mas os sintomas são os mesmos para todos e entre eles está a sensação de calor no rosto.

As suas causas são desconhecidas, as a rosácea é associada a um inchaço dos vasos sanguíneos sob a pele, o que dá o tom avermelhado ao rosto. Quanto maior for o fluxo sanguíneo, maior será a sensação de calor.

Qualquer pessoa pode sofrer de rosácea, mas é mais comum em mulheres de meia idade com pele clara.

Acidente vascular cerebral (AVC)

Um acidente vascular cerebral ocorre quando o fluxo de sangue de uma parte do cérebro se detém, sendo também conhecido como íctus ou derrame cerebral. As suas características principais são a perda de força e/ou mobilidade em uma metade do corpo, que costuma ser do lado contrário ao da lesão. Cada hemisfério do cérebro controla a metade contrária, ou seja, o hemisfério direito controla a metade esquerda do corpo, pelo que se o AVC se produziu no hemisfério direito, é a metade esquerda do corpo que fica paralisada.

Além disso, os sintomas incluem dor que a pessoa pode descrever como sensação de calor na cara ou nas zonas afetadas.

A principal causa do AVC é uma pressão arterial elevada, mas se associa normalmente a uma vida sedentária com pouca mobilidade. Por isso, se recomenda caminhar no mínimo 20 minutos por dia. A falta de mobilidade, especialmente nas extremidades inferiores (pernas) pode ajudar a provocar um AVC. O consumo de drogas, tabaco ou álcool em excesso também tem influência.

Neuropatia periférica

os nervos periféricos transportam a informação desde o cérebro até outras zonas do organismo e das mesmas até ao cérebro. Quando esses nervos não funcionam como devem, ocorre uma neuropatia periférica que pode afetar um ou mais desses nervos e, por sua vez, outros nervos do corpo.

Os sintomas dependem do nervo ou nervos danificados, mas costuma surgir uma sensação de ardência ou formigamento que, progressivamente, provocam uma perda de sensibilidade. As pessoas que sofrem de neuropatia periférica podem deixar de sentir a dor, o que pode grave, já que não sabem se estão feridas ou sofrendo de infarto. A sensação de ardência no rosto pode ser um sintoma de algum dos nervos da zona foi danificado. É essencial consultar um médico se a sensação de ardência se converte em formigamento, adormecimento ou perda de sensibilidade à dor.

Rubor facial

O fluxo sanguíneo não só transporta o sangue como também regula a temperatura, pelo que quanto maior seja, mais sensação de calor provoca. Muitas pessoas sentem rubor (vermelhidão do rosto devido à corrente sanguínea) em algumas situações de vergonha, ansiedade ou depois de fazer esportes.

Nesses momentos, é normal sentir uma sensação de calor ou ardência no rosto que desaparecem quando a situação acaba ou quando a pessoa descansa após o exercício e o fluxo sanguíneo volte ao normal.

Queimaduras solares

Quando o sol incide na nossa pele e nos queima, se produz uma vermelhidão na pele que leva à sensação de ardência. Isso se deve ao facto de a pele ter sido danificada por uma exposição solar excessiva. É possível que você pense que nem esteve assim tanto tempo sob o sol, mas isso depende do tipo de pele. Logo, é essencial aplicar protetor solar sempre e quanto mais alto melhor. A pele tem memória e, com o passar dos anos, pode manifestar problemas que derivam da exposição solar.

Calor no rosto: causas e tratamento - Calor no rosto, o que pode ser?

Tratamento para calor no rosto

O tratamento para a sensação de ardência na cara depende da causa desencadeante. Quando se sofre desse sintoma e ele é acompanhando de paralisia, formigamento, adormecimento e outros sintomas mais graves, é essencial consultar um médico com urgência.

Se a ardência se produziu por uma situação de estresse, ansiedade ou um rubor por vergonha ou por ter praticado exercício, desaparecerá quando a situação termine. No entanto, se a sensação persiste ou os sintomas de ansiedade duram muito tempo, recomendamos que você consulte um especialista em psicologia para que ele trate o problema original.

As queimaduras do sol, por sua vez, podem ser curadas aplicando um creme hidratante e refrescante que alivie os sintomas. É importante que você se proteja do sol sempre, mesmo com céu nublado, sobretudo nas horas altas (12:00 às 16:00 horas), que são o período mais perigoso para a pele. Mesmo com nuvens, os raios de sol atravessam a atmosfera e chegam à nossa pele do mesmo jeito. Para a sensação de queimação, você pode colocar uma compressa fria no rosto para aliviar esse sintoma.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Calor no rosto: causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Cérebro e nervos.

Escrever comentário sobre Calor no rosto: causas e tratamento

O que lhe pareceu o artigo?

Calor no rosto: causas e tratamento
1 de 2
Calor no rosto: causas e tratamento

Voltar ao topo da página