menu
Partilhar

Corrimento com sangue: causas e tratamento

 
Por Dra. Ivonne Nieves Blanco, Médica Cirurgiã. 22 novembro 2023
Corrimento com sangue: causas e tratamento

Algumas mulheres podem apresentar sangramento de escape durante o ciclo menstrual. Isso pode ser normal em algumas circunstâncias específicas, mas também pode estar associado ao início da gravidez, ao uso de contraceptivos orais, a algumas condições como a síndrome dos ovários policísticos, a distúrbios da glândula tireoide, à endometriose, entre outros.

Neste artigo do ONsalus, explicamos em detalhes as possíveis causas do corrimento com traços de sangue e qual tratamento deve ser seguido em cada caso.

Desequilíbrio hormonal

Mulheres jovens podem apresentar manchas na ovulação, que ocorre de 10 a 14 dias após o fim da menstruação, devido a uma queda temporária nos níveis de estrogênio.

Outras situações que podem causar desequilíbrio hormonal devido à diminuição dos níveis de estrogênio incluem estresse, mudanças na dieta ou perimenopausa.

Tratamento

O médico será responsável por diagnosticar o desequilíbrio hormonal por meio de um exame de sangue no qual ele verificará os níveis de hormônio, especificamente os de estrogênio. Se estiverem baixos, ele indicará a ingestão de estrogênio para restaurar os níveis.

Infecções ou doenças sexualmente transmissíveis

Algumas infecções vaginais ou infecções sexualmente transmissíveis podem causar corrimento sanguinolento, como a clamídia ou a gonorreia. Além disso, podem ocorrer outros sintomas, como aumento do corrimento, dor pélvica, dor ao urinar, ardor vaginal e coceira.

Tratamento

É essencial consultar um ginecologista para que uma coleta de cultura possa diagnosticar a infecção presente. Uma vez feito o diagnóstico, ele indicará o tratamento a ser seguido, que geralmente é antibiótico no caso de infecção bacteriana ou antiviral no caso de infecção causada por um vírus.

Gravidez

Se, após as primeiras semanas de gravidez, ocorrer sangramento ou corrimento com presença de sangue, é importante consultar um ginecologista para descartar possíveis complicações, como:

  • Gravidez ectópica: essa é uma das causas de sangramento no início da gravidez. A gravidez ectópica ocorre quando o óvulo fertilizado se implanta fora do útero, geralmente nas trompas de falópio.
  • Aborto espontâneo: é a perda da gravidez antes da 20ª semana. O sangramento pode variar de manchas a sangramento intenso.
  • Trabalho de parto prematuro: Trabalho de parto prematuro é quando o parto ocorre antes de 37 semanas. Nesse caso, o corrimento vaginal pode apresentar manchas de sangue, água ou muco, além de dor abdominal e pélvica e contrações.

Tratamento

Se o sangramento ocorrer após o primeiro trimestre, o médico, após o diagnóstico, indicará o tratamento a ser seguido. No caso de uma gravidez ectópica, o tratamento será cirúrgico. No caso de um aborto espontâneo, a paciente deve passar por um acompanhamento para avaliar sua evolução e, se necessário, deve ser realizado um procedimento cirúrgico da cavidade uterina para verificar a expulsão completa do material contido no útero.

No caso de parto prematuro, não há medicamentos ou procedimentos cirúrgicos que possam interromper essa situação, portanto, o médico recomendará corticoides para ajudar na maturação pulmonar do bebê, além de supervisão médica rigorosa para evitar complicações.

Corrimento com sangue: causas e tratamento - Gravidez

Perimenopausa

Mulheres entre 40 e 47 anos estão em um período chamado pré-menopausa, que é anterior à menopausa. Durante esse estágio, pode haver manchas no fluxo e o sangramento pode ser intenso ou leve, ou pode durar períodos mais curtos, ou mais longos até desaparecer completamente, o que é conhecido como menopausa.

A menopausa se deve a alterações hormonais que ocorrem em mulheres com mais de 47 anos.

Tratamento

Uma vez feito o diagnóstico, se necessário, o ginecologista prescreverá terapia de reposição hormonal para reduzir os sintomas. Essa terapia é uma combinação dos hormônios femininos estrogênio e progesterona.

Doenças da tireoide

A glândula tireoide é responsável por controlar o metabolismo, a frequência cardíaca e outras funções importantes do corpo. O hormônio tireoidiano secretado pela glândula tireoide desempenha um papel importante na saúde reprodutiva, e as mulheres com distúrbios da tireoide podem sofrer alterações nos períodos menstruais devido ao aumento ou à diminuição dos níveis desse hormônio.

Isso pode fazer com que o fluxo seja fibroso, pesado, irregular e, em alguns casos, até mesmo desaparecer completamente por alguns meses, o que é conhecido como amenorreia.

Alguns sintomas que se manifestam quando há problemas de tireoide são:

  • Ganho de peso.
  • Fadiga.
  • Sensibilidade ao frio.
  • Dores musculares.

Tratamento

O tratamento será estabelecido de acordo com o distúrbio da tireoide presente. No caso de hipotireoidismo, o médico prescreverá hormônio tireoidiano, como a Levotiroxina, por via oral, para restaurar os níveis de hormônio tireoidiano.

No caso de hipertireoidismo, o médico recomendará um tratamento antitireoidiano oral para inibir a formação do hormônio tireoidiano e controlar os sintomas que o acompanham. Isso controlará o sangramento irregular que está ocorrendo.

Corrimento com sangue: causas e tratamento - Doenças da tireoide

Síndrome do ovário policístico

A síndrome do ovário policístico é uma doença crônica que afeta 1 em cada 10 mulheres em idade fértil. Ela causa menstruação irregular, que pode ser ausente ou pesada. Também pode ocorrer spotting, porque as mulheres com essa condição têm níveis mais altos de hormônios masculinos, chamados andrógenos, que alteram a proporção de hormônios sexuais femininos que controlam o ciclo menstrual.

Outros sintomas que podem acompanhar essa síndrome incluem ganho de peso, crescimento incomum de pelos, pele oleosa ou acne.

Tratamento

O tratamento da síndrome dos ovários policísticos se concentra na correção dos distúrbios hormonais que desencadeiam a doença, controlando os níveis de estrogênios e androgênios que levam ao sangramento irregular ou à presença de sangue no corrimento vaginal.

O médico prescreverá anticoncepcionais de estrogênio apenas com progestina para controlar os níveis hormonais e os sintomas que acompanham a doença do ovário policístico.

Anticoncepcionais hormonais

O uso de contraceptivos orais, como pílulas anticoncepcionais, pode causar um corrimento com fios de sangue intermenstrual. Isso ocorre com métodos anticoncepcionais de baixa dosagem, quando se muda de anticoncepcional ou quando se pula uma dose.

As mulheres que usam DIU podem apresentar corrimento com sangue, principalmente nos primeiros meses após a inserção, o que pode indicar que o dispositivo não foi inserido corretamente, especialmente se for acompanhado de dor.

Tratamento

O médico a instruirá a tomar os anticoncepcionais no mesmo horário todos os dias e a seguir a dosagem estabelecida por ele, bem como a evitar a troca de pílulas anticoncepcionais, a menos que seja estritamente necessário. Dessa forma, é possível evitar a presença de corrimento intermenstrual com manchas de sangue.

Endometriose

Endometriose é quando células semelhantes às que revestem o útero, chamadas de endométrio, crescem em outras partes do corpo, como a pélvis.

Essa condição pode causar problemas com o sangramento menstrual, tornando-o pesado, irregular, doloroso ou mais longo do que o normal. A endometriose, além de ser muito dolorosa, pode causar problemas de fertilidade.

Tratamento

Inicialmente, o médico prescreverá analgésicos para aliviar a dor, bem como hormônios para controlar os sintomas que acompanham a endometriose. A cirurgia será usada para remover o tecido endometrial, localizar as áreas afetadas e verificar a extensão e o grau de crescimento dos implantes.

Câncer

Embora seja uma causa menos comum, o câncer que ocorre nos órgãos reprodutivos das mulheres, como o útero, o colo do útero e o ovário, pode ser evidenciado por sangramento vaginal irregular que pode começar com a presença de sangue na secreção.

Tratamento

O tratamento dependerá do tipo de câncer e da extensão de sua progressão. Algumas terapias podem ser necessárias, como:

  • Quimioterapia.
  • Radioterapia.
  • Cirurgia para remover o tumor.
  • Imunoterapia para fortalecer o sistema imunológico.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Corrimento com sangue: causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Bibliografia
  • Capote Bueno, M. I., Segredo Pérez, A. M., & Gómez Zayas, O. (2011). Climaterio y menopausia. Revista cubana de medicina general integral, 27(4), 543-557.
  • Guerrero, G. E. M., Cabrera, I. N., Rodríguez, Y. H., & Castellanos, J. E. (2012). El embarazo y sus complicaciones en la madre adolescente. Revista Cubana de Obstetricia y Ginecología, 38(3).
  • Symons, LK, Miller, JE, Kay, VR, Marks, RM, Liblik, K., Koti, M. y Tayade, C. (2018). La inmunopatofisiología de la endometriosis. Tendencias en medicina molecular , 24 (9), 748-762.
  • Winnykamien, I., Dalibón, A., & Knoblovits, P. (2017). Síndrome de ovario poliquístico. Rev. Hosp. Ital. B. Aires, 37(1), 10-20.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Corrimento com sangue: causas e tratamento
1 de 3
Corrimento com sangue: causas e tratamento

Voltar ao topo da página