menu
Partilhar

Corrimento marrom após a relação sexual: causas e tratamento

 
Por Isbelia Farias. 9 janeiro 2024
Corrimento marrom após a relação sexual: causas e tratamento

O corrimento marrom após a relação sexual pode ser devido a uma variedade de causas, como menstruação, ovulação, implantação, gravidez ectópica, entre outras. É marrom porque não se trata de sangue fresco, mas de sangue antigo, e é por isso que é marrom, pois o sangue fresco tende a ser vermelho vivo. Como o sangue permanece fora dos vasos sanguíneos por um período mais longo, sua cor se torna mais escura. Além disso, quando em contato com o ar, ele oxida.

Na maioria dos casos, o corrimento marrom após a relação sexual pode ser considerado normal; no entanto, é útil conhecer todas as possíveis causas para ficar alerta, pois também pode ser um sinal de infecção ou condição ginecológica. No ONsalus, oferecemos a você todas as informações sobre as causas do corrimento marrom após a relação sexual e seus possíveis tratamentos.

É normal ter um corrimento marrom após ter relações sexuais?

Ter um corrimento marrom após ter relações sexuais pode ser normal em algumas circunstâncias específicas, mas também é importante estar atenta a outros sintomas associados, pois pode ser devido a algum tipo de infecção vaginal ou outra condição médica, como veremos na seção a seguir.

Entre as possíveis causas do corrimento marrom após o sexo que não são motivo de preocupação, estão as seguintes:

  • Final do período menstrual: no final da menstruação, o corrimento pode ter uma cor marrom devido à presença de sangue envelhecido.
  • Resquícios de sangue menstrual: pequenos coágulos ou resquícios de sangue menstrual podem ser expelidos durante, ou após o sexo, resultando no corrimento marrom.
  • Fricção e irritação: a fricção durante as relações sexuais ou se forem muito bruscas podem causar irritação na vagina e levar a um leve sangramento. Se a mulher sentir dor, pode pedir ao parceiro para ter mais cuidado ou tentar outra posição em que a penetração não seja tão profunda.
  • Uso de contraceptivos hormonais: alguns contraceptivos hormonais, como pílulas, adesivos ou anéis, podem causar mudanças no aspecto do corrimento vaginal.
  • Ovulação: algumas mulheres podem ter um leve sangramento ou uma mudança na cor do corrimento durante a ovulação.

Causas de corrimento marrom

Embora em algumas situações o corrimento marrom possa ser normal, é importante prestar atenção a qualquer mudança significativa no corrimento, bem como a outros sintomas associados que lhe causem preocupação. Se o corrimento marrom for persistente, pesado, com mau cheiro ou acompanhado de sintomas como coceira, ardência ou queimação, é aconselhável consultar um ginecologista para uma avaliação mais detalhada.

Há algumas infecções e doenças sexualmente transmissíveis que podem causar corrimento marrom com mais frequência, como as seguintes

Esses tipos de infecções são geralmente acompanhados de outros sintomas, como corrimento com odor fétido, relações sexuais dolorosas, coceira na vulva, ardor ou dor ao urinar, febre, calafrios, sensibilidade no abdômen, entre outros.

Outras possíveis causas de corrimento marrom incluem:

Além disso, o corrimento marrom também pode ser causado por um corpo estranho deixado dentro da vagina, como preservativo, tampão, anel vaginal ou brinquedo sexual.

O que fazer se eu tiver corrimento marrom

Se você está apresentando corrimento marrom após ter relações sexuais, é importante ficar atenta a qualquer outro sintoma que possa estar experienciando. Além disso, você deve considerar o momento em que isso ocorre, seja antes ou depois da menstruação, pois isso será um fator-chave para determinar se é normal ou não. Em alguns casos, se o corrimento marrom persistir por um período prolongado, pode ser um sintoma de adenomiose ou endometriose nas paredes uterinas.

Além disso, é recomendável consultar um médico especialista porque o aspecto do corrimento marrom também é relevante. Se a consistência for fibrosa ou espessa, e vier acompanhada de mau odor e coceira, pode ser uma infecção. A presença de febre ou dor também pode ser um sinal de que há um problema. Se você nunca teve corrimento marrom antes, isso também pode indicar que algo está errado. No entanto, será sempre o médico quem determinará a causa exata.

Existem diferentes opções para eliminar o corrimento marrom, dependendo da causa. Por exemplo, se for causado por contraceptivos hormonais, o ginecologista pode prescrever outro método contraceptivo.

Da mesma forma, se for um corrimento marrom causado por uma infecção, o médico também irá prescrever o tratamento antibiótico adequado para cada caso.

No caso de mulheres passando pela perimenopausa, o médico pode recomendar terapia hormonal substitutiva (THS), que pode ser eficaz para eliminar esse sangramento marrom, além de outros sintomas associados a essa fase.

Se for o caso de uma mulher grávida, é fundamental que ela se comunique com o obstetra, pois, embora possa ser normal, é necessário verificar se está tudo bem.

Muitas vezes, o corrimento marrom após relações sexuais pode ser considerado normal. No entanto, é importante que a mulher mantenha um controle regular de seu ciclo e esteja atenta a qualquer outro sintoma que possa surgir. Em todo caso, consultas regulares ao médico contribuirão para manter a saúde do sistema reprodutivo da mulher. Caso haja algum problema, essas consultas médicas são fundamentais para estabelecer um diagnóstico e iniciar o tratamento o mais rápido possível.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Corrimento marrom após a relação sexual: causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Bibliografia
  • Avendaño Salizar, L. V., & Choque Pauccar, F. (2019). Factores de riesgo asociados al síndrome de flujo Vaginal en mujeres de 18-24 años del Centro de Salud de Ttio 2017.
  • Chuquiyauri Nieto, C., & Tumbay Sánchez, L. F. (2023). Características epidemiológicas y flujo vaginal en mujeres en edad fértil Centro de Salud Margos-Huánuco 2021.
  • Moreno Tapia, J. G., & Abaca Castillo, E. P. (2019). Estudio microbiológico de agentes colonizantes e infectantes del flujo vaginal de mujeres que asisten al centro de salud José Dionisio Astaburuaga de Talca (Doctoral dissertation, Universidad de Talca (Chile). Escuela de Tecnología Médica.).
  • Orellana-Escobar, N., & Vega-Gonzales, E. (2019). Características personales de las mujeres en edad fértil con síndrome de flujo vaginal en un centro de salud peruano, 2018. Revista Internacional de Salud Materno Fetal, 4(2), 3-8.
  • Rejas Quispe, K. E. (2019). Flujo vaginal y su relación con el uso de métodos anticonceptivos en mujeres de edad fértil atendidas en el centro de salud de Guadalupe, septiembre-noviembre 2018.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Corrimento marrom após a relação sexual: causas e tratamento
Corrimento marrom após a relação sexual: causas e tratamento

Voltar ao topo da página