Partilhar

Espinha no ânus, o que pode ser?

 
Por Dra. Ivonne Nieves Blanco, Médica Cirurgiã. 28 julho 2020
Espinha no ânus, o que pode ser?

O aparecimento de espinhas no ânus é uma alteração frequente e, em muitos casos, pode ser muito difícil comentá-la com familiares, amigos e, até mesmo, com o médico, por causa do desconforto ou vergonha em falar sobre o tema. Isso pode resultar em complicações por não ter um diagnóstico preciso e um tratamento adequado. O ânus é a última parte do reto e, devido a sua localização, a presença de espinhas nesta área é algo muito doloroso e incômodo, podendo limitar as atividades que são realizadas no dia a dia, inclusive algumas tão básicas como se sentar e caminhar. A presença desta lesão pode ser o indício de uma alteração no seu corpo, portanto, o ideal é que neste caso você consulte um médico e também aprenda mais sobre este assunto. Te convidamos a ler o seguinte artigo do ONsalus, no qual falamos sobre o aparecimento de uma espinha no ânus: o que pode ser e seu tratamento.

Também lhe pode interessar: Espinhas no pescoço: o que pode ser

O que pode ser espinha no ânus

O aparecimento de nódulos no ânus ocorre por diferentes motivos. Entre as causas das espinhas no ânus estão:

  • Hemorroidas: esta é a causa mais comum da presença de uma espinha no ânus. São produzidas pela dilatação de uma veia de forma constante, por isso que aparece um aumento de volume na região anal. A dilatação desta veia pode originar sintomas característicos desta alteração como dor ao defecar ou sangue nas fezes. Saiba mais sobre este assunto neste outro artigo do ONsalus sobre Hemorroidas: tipos, sintomas e tratamento.
  • Abscesso anal: pode causar aumento de volume no ânus. Ocorre quando há um acúmulo de pus, resultado de alguma infecção na região anal, devido a uma doença sexualmente transmissível ou pelo bloqueio de alguma glândula.
  • Alergias: as espinhas podem surgir devido a uma reação alérgica próxima da região anal, podendo ser uma alergia a algum alimento ou produto químico, sendo caracterizada pela coceira e ardência na área.
  • Verruga anal: a presença destas lesões na região anal são causadas pelo Vírus do Papiloma Humano (HPV). A presença desta infecção é comum em pessoas que praticam sexo anal sem proteção, em especial quando se tem mais de um parceiro sexual. Aqui te explicamos mais sobre as Verrugas no ânus: causas e tratamento.
  • Lesão perineal: estas lesões costumam ser vistas em ciclistas, pessoas que sofrem de constipação crônica, pessoas que trabalham com construção e pacientes que fizeram cirurgias na região do períneo.
  • Foliculite: é uma inflamação do folículo piloso na região anal, comumente causada ao fazer a raspagem dos pelos da região anal.
  • Foliculite seborreica: neste caso, surge devido a infecção e inflamação devido ao excesso de sebo na área. É causada pelo uso de roupas pouco transpirantes, higiene ruim e aumento de umidade ou suor na região anal.
  • Molusco contagioso: este é um problema que surge na pele devido ao vírus Poxvirus. Causa a formação de pequenas pápulas situadas na região perineal. Isto ocorre, principalmente, quando se tem relações sexuais sem proteção.
  • Câncer anal: o aparecimento de um nódulo na região anal não é frequente, no entanto, sua presença costuma ser muito grave. Requer um diagnóstico precoce, desta forma é possível garantir um tratamento bem sucedido. Além do aumento de volume, pode apresentar coceira e dificuldade para defecar acompanhada da presença de sangue nas fezes.
  • Lipoma: é um aumento de volume devido a presença de sebo na área. Não é uma lesão exclusiva da região anal, podendo surgir em outras partes do corpo.
  • Cisto dermoide: esta lesão é benigna, surge nos testículos, contudo, também pode ser vista na região do períneo, entre o ânus e o escroto. Aparece como um aumento de volume nesta região.
Espinha no ânus, o que pode ser? - O que pode ser espinha no ânus

Espinha no ânus: sintomas

Os sintomas das espinhas no ânus variam de acordo com a causa que originou o aparecimento desta lesão, mas alguns deles são:

  • Nódulo no ânus.
  • Coceira.
  • Dor.
  • Vermelhidão na região do ânus.
  • Aumento de volume na região.
  • Erupção cutânea.
  • Aparecimento de feridas.

Espinha no ânus: tratamento médico

As espinhas no ânus devem ser tratadas por um médico através de um tratamento de acordo com os sintomas que o paciente apresentar e a causa que originou a lesão. Estes são os tratamentos médicos mais frequentes para as espinhas no ânus de acordo com a causa:

  • Caso se trate de um processo infeccioso, o indicado é a prescrição médica de um antibiótico para eliminar as bactérias, assim como analgésicos e anti-inflamatórios, a fim de aliviar os sintomas desta alteração.
  • Quando as espinhas são o produto do vírus HPV, o médico recomendará a aplicação de substâncias como o Cidofovir ou Ácido Tricloroacetico, a fim de tratar as lesões.
  • O abscesso anal deve ser tratado após a avaliação médica. Caso seja grave, deverá ser feita a remoção cirúrgica do mesmo ou sua drenagem. Serão indicados antibióticos, analgésicos e anti-inflamatórios, a fim de tratar a infecção e a dor na região anal.
  • Quando for devido a presença de hemorróidas, o tratamento vai depender da gravidade da lesão. É iniciado com tratamento sintomático, mas se a lesão persistir, o tratamento será cirúrgico.
  • No caso de lesão de uma glândula na região anal, é recomendada a cirurgia.

Remédios caseiros para espinha no ânus

Existe uma grande variedade de remédios caseiros recomendados para as espinhas no ânus, dentre eles:

  • Óleo de melaleuca: possui excelentes propriedades antibacterianas e antissépticas, é um excelente remédio caseiro para tratar as espinhas ou aumentos de volume no ânus. Deve ser aplicado após a higienização da região anal com água e sabão, em seguida, é realizada sua aplicação com um pedaço de algodão. Deve-se deixá-lo agir na região por, aproximadamente, 10 minutos.
  • Cúrcuma: este produto natural possui efeito analgésico, anti-inflamatório, bactericida, antiviral e cicatrizante, por isso que é um remédio ideal para aplicar nos casos de espinhas no ânus. O pó da cúrcuma misturado com água deve ser misturado até se tornar um pasta, para então ser aplicado na região do ânus onde a lesão se encontra. É preciso deixá-la agir por cerca de 15 minutos, depois retirar com água em abundância. Sua aplicação deve ser diária.
  • Alho: devido as suas propriedades antissépticas e antimicrobianas ajuda a eliminar as espinhas no ânus. Recomenda-se colocar um dente de alho triturado na área onde está a espinha após lavar o local. Deve ser aplicado várias vezes ao dia para que seja possível obter excelentes resultados.
  • Aloe vera: esta planta é utilizada por causa dos seus diversos benefícios, em especial, diminuir a coceira, a ardência e a inflamação, o que é muito útil diante dos sintomas das espinhas no ânus. Deve-se cortar uma folha de aloe vera, descascá-la e aplicar o conteúdo da polpa, ou gel, na superfície afetada. Este procedimento deve ser feito várias vezes ao dia. O alívio será imediato, sendo ideal para tratar as hemorroidas.

Além dos remédios caseiros, deve-se fazer banhos de assento ou utilizar compressas quentes. Estes métodos acalmarão a dor graças ao seus efeitos anti-inflamatórios. É necessário fazer isso 3 ou 4 vezes ao dia. O calor deve ser suportável sem afetar muito a área onde está a lesão.

Espinha no ânus, o que pode ser? - Remédios caseiros para espinha no ânus

Como prevenir o aparecimento de espinhas no ânus

Para evitar o aparecimento de espinhas no ânus, devem ser colocadas em prática algumas medidas que você conhecerá a seguir:

  • Ter uma dieta saudável, ou seja, evitar a ingestão de café, bebidas a base de cola, álcool, cítricos, chocolate, alimentos picantes, assim como aqueles capazes de causar diarreia.
  • Faça mais exercícios, pois a prática diária de exercícios promove uma melhor digestão e circulação sanguínea.
  • Mantenha uma boa limpeza da região anal.
  • Evite substâncias irritantes como banhos de espuma, desodorantes genitais, sabonetes perfumados e lencinhos umedecidos.
  • Tome certas medidas caso precise usar banheiros públicos.
  • Troque a roupa íntima frequentemente se sentir muito suor na região anal. É preferível usar roupas soltas e de algodão.
  • Se você utiliza piscinas frequentemente, ao sair dela, deve tomar um banho e secar muito bem a região anal, com isto evitará a contaminação por bactérias nesta área.
  • Se for ter relações sexuais anais, orais ou vaginais, deve usar preservativo para evitar qualquer tipo de contaminação ou contágio.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Espinha no ânus, o que pode ser?, recomendamos que entre na nossa categoria de Pele, cabelo e unhas.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Espinha no ânus, o que pode ser?
1 de 3
Espinha no ânus, o que pode ser?

Voltar ao topo da página