Infecções por fungos

Tipos de fungos na pele e como eliminá-los

 
Redação ONSalus
Por Redação ONSalus. 29 março 2023
Tipos de fungos na pele e como eliminá-los

As infecções fúngicas da pele são muito comuns, mas são bastante difíceis de detectar. São organismos microscópicos que quando se multiplicam podem levar ao desenvolvimento de uma infecção que causa coceira, descamação, erupções cutâneas, queimaduras, dores, etc. Às vezes a área afetada fica vermelha, o que faz o fungo parecer uma simples erupção cutânea.

Existem vários tipos de infecções fúngicas, que são classificadas de acordo com a parte ou partes do corpo que elas afetam. Para que você possa identificá-las, neste artigo do ONsalus vamos te mostrar todos os tipos de fungos na pele e como eliminá-los.

Também lhe pode interessar: Dermatomicose: Infecções por fungos na pele
Índice
  1. Quais são os tipos de fungos na pele?
  2. Como prevenir o contágio por fungos na pele
  3. Causas e sintomas do pé de atleta
  4. Como evitar fungos nos pés no verão
  5. Remédios caseiros para eliminar fungos da pele
  6. Como eliminar os fungos nas mãos
  7. Fungos no couro cabeludo

Quais são os tipos de fungos na pele?

Estes tipos de infecções fúngicas podem ocorrer em muitas partes do corpo. Aqui estão os tipos de fungos na pele mais comuns e seus principais sintomas:

1. Pé de atleta, frieira ou tínea pedis

Um tipo de infecção fúngica comumente conhecido como pé de atleta. Este nome não significa que a infecção só pode ser sofrida por atletas. Ela afeta os dedos dos pés e pode até afetar as unhas. Ela causa sintomas como coceira, vermelhidão, queimadura, pele escamosa, rachaduras brancas e danos significativos nas unhas. Esta infecção causada por um tipo de fungo na pele é geralmente contraída em ambientes quentes ou úmidos como banheiros, piscinas e vestiários públicos, mas também pode ser causada por má higiene ou por manter os pés úmidos por muito tempo.

2. Candidíase

Outro tipo de fungo na pele é a cândida albicans, que reside em algumas partes do corpo, tais como a boca, estômago, pele e vagina. Quando há um crescimento excessivo deste fungo, uma infecção chamada candidíase pode se desenvolver. Os sintomas variam dependendo da parte do corpo afetada, mas geralmente incluem lesões esbranquiçadas na pele, irritação, coceira, dor, etc.

Os bebês podem desenvolver erupções cutâneas a partir do contato da pele com a fralda, que pode ser infectada por este tipo de fungo. Aqui falamos se candidíase atrasa menstruação.

3. Micose na virilha (Tinea cruris)

A micose na virilha, tinea cruris ou coceira de jóquei é caracterizada pela área que ela afeta: a virilha e a parte superior das coxas. Ela tende a ser mais comum nos homens do que nas mulheres, mas isso não significa que eles estejam isentos. O problema começa com uma pequena erupção cutânea e depois forma uma espécie de bolha muito avermelhada com pus. Neste outro artigo falamos sobre os tipos de fungos nos testítulos.

4. Tinea corporal

Esta infecção fúngica causa uma erupção cutânea avermelhada em forma de anel em partes do corpo como as pernas, braços ou rosto. É um tipo de fungo na pele altamente contagioso e a tinea corporal pode ser contraída pelo contato direto com uma pessoa que a tenha ou com objetos que tenham sido contaminados.

5. Tinea do couro cabeludo

Quando a infecção fúngica ocorre no couro cabeludo, observa-se o aparecimento de manchas avermelhadas na cabeça que causam coceira e escamas. Também pode causar pus e queda de cabelo nas áreas afetadas, que crescerão novamente assim que a infecção for eliminada.

Embora possa afetar pessoas de todas as idades, ocorre com mais frequência em crianças que ainda não atingiram a puberdade.

6. Tinea Versicolor

Este outro dos tipos de fungos na pele é causado pela multiplicação do fungo pityrosporum ovale, que geralmente afeta as áreas mais oleosas ou gordurosas do corpo. Causa manchas ou placas escamosas descoloridas na pele, que são inicialmente avermelhadas ou marrons e ficam mais claras com o tempo, além de coceira, descamação e aumento da sudorese.

Tipos de fungos na pele e como eliminá-los - Quais são os tipos de fungos na pele?

Como prevenir o contágio por fungos na pele

Se você estiver infectado por fungos na pele, livrar-se deles pode ser uma tarefa desesperadora, além da coceira e do desconforto que ele causa. Por esta razão, a melhor coisa a fazer é tomar uma série de medidas para evitar a propagação de fungos na pele:

  • Usar chinelos de dedo ou sandálias de borracha desde o momento em que você sai do vestiário até entrar na piscina. Embora tendamos a associá-los aos chuveiros ou à beira das piscinas, os fungos podem estar em qualquer lugar e, por este motivo, não há melhor proteção do que os chinelos.
  • Após sair da piscina ou do chuveiro, seque bem seu corpo, especialmente seus pés, entre os dedos dos pés, ou naqueles lugares onde há dobras na pele, pois é aqui que elas se proliferam mais facilmente.
  • Não deixe seu traje de banho molhado por muito tempo após sair da piscina. Se você não vai tomar sol, é melhor trocá-lo por um seco para evitar fungos.
  • Deixe seu calçado em um local bem ventilado e tente não usar o mesmo calçado por muito tempo ou por vários dias seguidos. Se você não tiver escolha, troque suas meias com frequência.
  • Se alguém da família tiver fungos nos pés, não deve andar descalço pela casa, pois isso espalhará o fungo.
  • O fungo é altamente contagioso, portanto evite compartilhar sapatos, meias ou toalhas com outras pessoas. Além disso, se você o pegou, deve ter muito cuidado para não espalhar você mesmo para outras partes do seu corpo, como aconteceria se você coçasse a área onde tem o fungo e depois tocasse outra parte do seu corpo.
  • Se você já tiver se contagiado pelo fungo, siga as diretrizes de tratamento conforme indicado pelo especialista para eliminá-lo completamente.

Causas e sintomas do pé de atleta

O pé de atleta ou frieira é um distúrbio de pele muito comum. Os dermatófitos que causam o pé de atleta e infecções similares, chamadas infecções de estrias, vivem nos tecidos mortos do cabelo, unhas e camadas externas da pele. O pé de atleta pode surgir de outras infecções cutâneas fúngicas, como a tinea cruris.

O corpo abriga uma variedade de microorganismos, incluindo bactérias, infecções, dermatófitos, leveduras e fungos. Alguns são úteis ao corpo, enquanto outros podem, sob as condições adequadas, multiplicar-se rapidamente e causar infecções. O fungo que provoca o pé do atleta cresce em áreas quentes e úmidas. A susceptibilidade à infecção é aumentada pela falta de higiene, falta de transpiração da área, calçados, pele úmida e pequenas lesões na pele ou unhas.

Este tipo de infecção é contagiosa e pode ser transmitida por contato direto ou por contato, como, por exemplo, com sapatos, meias e diferentes superfícies. Também pode ser transmitido pelo contato com animais de estimação que carregam o fungo. O pé do atleta pode durar muito tempo ou de ter curta duração e pode reaparecer após o tratamento.

Os sintomas incluem coceira e ardência na área. Ao ser examinada, a área afetada aparecerá vermelha e escamosa. A área ao redor da infecção é geralmente esbranquiçada devido à maceração da pele causada pelo ambiente úmido. Ela pode afetar as unhas e outras partes do pé. Se as unhas forem afetadas, elas muitas vezes ficam descoloridas, espessas e caem.

Tipos de fungos na pele e como eliminá-los - Causas e sintomas do pé de atleta

Como evitar fungos nos pés no verão

É certamente no verão que temos que tomar mais precauções para evitar diferentes consequências negativas sobre nossa saúde: queimaduras na pele, desidratação, intoxicação, mas também o aparecimento de fungos, que é muito comum nesta época do ano. O motivo? Temos a tendência de visitar mais frequentemente espaços públicos como praias e piscinas e nossos pés ficam muito expostos quando usamos sandálias, chinelos de dedo ou caminhamos descalços.

O fungo é uma doença contagiosa que pode se espalhar e piorar. Portanto, é muito importante tomar uma série de medidas para prevenir os diferentes tipos de fungos na pele e detectar se você é afetado ou não, saiba mais sobre eles abaixo:

  • Por um lado, é muito importante secar bem os pés após o banho, especialmente entre os dedos dos pés. As áreas molhadas são propensas a infecções fúngicas.
  • Também é essencial que você use sapatos respiráveis e nunca ande descalço em locais públicos.
  • Embora muitos não o saibam, é muito importante não abusar dos esmaltes. Se você usar esmaltes, você deve mudá-los com frequência, porque se não deixá-los respirar, corre o risco de que o esmalte se torne um local de reprodução de fungos.
  • Naturalmente, você não deve compartilhar nenhum utensílio de higiene podiátrica ou toalhas para secar seus pés.
  • Por outro lado, é recomendável que você use meias feitas de fibras naturais e que você as troque com frequência, além de evitar calçados feitos de materiais sintéticos e sapatos apertados.
  • Aconselhamos que você lave seus pés com sabão neutro em pH e que faça check-ups regulares para verificar o estado de saúde de seus pés.

Remédios caseiros para eliminar fungos da pele

Os fungo na pele são um tipo de infecção muito popular na maioria da população e geralmente causa muita coceira, queimadura, vermelhidão e desconforto. As causas deste problema comum são variadas e podem variar desde suor excessivo e umidade na área até infecção por uma ferida.

Se o fungo não for muito grave e não estiver muito desenvolvido, há uma série de remédios caseiros que podem te ajudar a combater o problema irritante e doloroso de uma forma natural:

1. Vinagre

O vinagre é um produto natural conhecido por ser um grande desinfetante; por isso, é perfeito para ser usado como remédio caseiro para curar fungos da pele.

Para fazer este remédio, misture um pouco de vinagre com água em uma tigela e depois mergulhe a área afetada por cerca de 15 minutos. Após este tempo, seque bem com uma toalha e, em pouco tempo, você notará uma grande melhoria no estado da pele.

2. Alho

O alho é um alimento conhecido por ter inúmeras propriedades que são realmente benéficas para sua saúde. Uma delas é seu grande poder antibacteriano, o que o torna perfeito para tratar fungos da pele.

A primeira coisa a fazer é fazer um pouco de óleo de alho, então pegue um frasco de azeite de oliva e coloque uma cabeça de alho dentro. Deixe-o macerar por alguns dias. Assim que o óleo estiver pronto, pegue um pouco dele e aplique na área afetada algumas vezes ao dia. Após alguns minutos, enxágue com água e seque com uma toalha. Em poucos dias, você notará uma grande melhoria.

3. Limão

O limão é outro remédio caseiro que você pode usar efetivamente para tratar os fungos da pele. Basta usar um pouco de suco de limão na área dolorida. Embora possa inicialmente causar ardor e aumento da coceira, esta sensação é normal, pois indica que o limão está tendo um efeito sobre o fungo. O limão ajudará a combater este problema, assim como evitará a transpiração excessiva.

4. Talco em pó

Outro remédio caseiro popular e amplamente utilizado é a aplicação de um pouco de pó de talco. Antes de calçar seus sapatos, é aconselhável colocar um pouco de pó de talco dentro deles para evitar a transpiração excessiva e a umidade em seus pés. Se você já tem fungos, o talco ajudará a aliviar a coceira e a ardência causadas pelos microorganismos em questão.

5. Cascas de nozes verdes

As cascas de nozes verdes também são um bom remédio caseiro contra fungos. Basta adicionar as cascas de nozes à água fervente, com suas folhas, e deixá-las repousar até que a água esteja morna. Você pode então aplicá-la na pele afetada e deixar agir por cerca de 15 minutos.

6. Óleo de melaleuca

Um dos remédios caseiros mais eficazes para os fungos na pele é o óleo de melaleuca. Aplique diariamente diretamente sobre a pele para matar o fungo. Suas propriedades antifúngicas e antibacterianas fazem dele um dos melhores remédios para combater esta infecção.

Lembre-se de que estes remédios naturais para fungos na pele são eficazes quando a infecção em questão não é grave e não está muito desenvolvida. Se o fungo for mais grave, é melhor consultar um especialista para ajudá-lo a combater a infecção. Neste caso, você terá que aplicar algum tipo de creme antifúngico específico para eliminar os microorganismos em questão.

Lembre-se que uma vez que o fungo tenha desaparecido e sua pele esteja em perfeitas condições, você deve tomar uma série de precauções para evitar que o fungo volte. É importante limpá-los regularmente e evitar a transpiração excessiva. Esperamos que você considere útil este tratamento contra o fungo da pele e que consiga que sua pele volte a estar em perfeitas condições.

Tipos de fungos na pele e como eliminá-los - Remédios caseiros para eliminar fungos da pele

Como eliminar os fungos nas mãos

O cuidado com as mãos ainda é uma questão não resolvida para muitas pessoas. Não apenas por razões estéticas, pois nossas mãos são nosso melhor cartão de visita, mas também por razões de saúde e higiene. Mãos limpas podem prevenir muitos problemas e doenças, tais como infecções fúngicas.

Queimaduras nos dedos, inflamações, manchas, coceira, unhas amareladas... Estes são os sintomas mais comuns que podem indicar que temos um problema fúngico em nossas mãos. Você sabe como se livrar desta infecção?

Se você preferir remédios naturais, experimente o vinagre de maçã. Encha uma tigela pela metade com água e o resto com vinagre de maçã. Mergulhe suas mãos na tigela uma ou duas vezes ao dia por alguns minutos e depois enxágue e seque sua pele. Idealmente, repita este ritual por duas a três semanas. Isto porque o vinagre de maçã contém um ácido acético que ajuda a queimar o fungo, mas sem danificar sua pele e unhas.

Outro remédio natural para o fungo das mãos, transmitido de geração em geração, pode ser encontrado em qualquer geladeira doméstica: o iogurte. Acontece que os fermentos no iogurte têm propriedades fungicidas. O truque é muito simples, basta espalhar o iogurte em todas as partes de sua pele afetadas por fungos. Deixe-o agir por meia hora e repita este processo todos os dias até que o fungo desapareça.

Fungos no couro cabeludo

Você já sofreu com fungos? Embora os fungos mais comuns sejam geralmente encontrados nos pés, eles também podem ser encontrados em diferentes partes do corpo, por exemplo, no couro cabeludo.

As infecções fúngicas do couro cabeludo são causadas principalmente por fungos do grupo dermatófito, que colonizam apenas estruturas com queratina, ou seja, epiderme, cabelo e unhas. Nestes casos, eles são chamados de tínea capitis do couro cabeludo. Elas são naturalmente encontradas na pele e no cabelo de humanos e animais e em solos ricos em tais resíduos, dos quais humanos e animais podem ser infectados.

O grupo de pessoas com maior risco de contrair esta infecção são crianças, especialmente desde a lactância até a idade escolar, com tendência a se espalhar para outras crianças. Entretanto, geralmente, ela é transmitida por animais. Por outro lado, é uma infecção rara em adultos.

Os sintomas da tinea do couro cabeludo são queda de cabelo em áreas circulares; lesões redondas, bem definidas, com pele vermelha, inchada e graus variáveis de descamação; áreas com cabelo cortado rente ao couro cabeludo, que se desprende facilmente ao ser puxado; aparecimento de áreas avermelhadas no couro cabeludo com formação de pontos com pus e posterior aparecimento de crostas amareladas. Algumas das lesões podem ser infectadas por bactérias e possível propagação das lesões para a face ou para o resto do corpo. Em alguns casos, os linfonodos do pescoço ou da nuca podem ficar inchados e doloridos. Além disso, podem ocorrer outros sintomas, como febre, dor de cabeça ou vômito.

Para evitar o fungo do couro cabeludo, é essencial evitar o contato com animais que apresentem sinais de infecção. Mas se você for infectado, precisará ser tratado com uma medicação via oral, devido à necessidade de que o medicamento penetre no folículo piloso. Assim, os tratamentos tópicos utilizados como único tratamento são ineficazes. Em algumas ocasiões, pode ser necessário tratar com corticoides ou com antibióticos e corticoides simultaneamente.

Agora que você já conhece os diferentes tipos de fungos na pele e viu suas causas e tratamentos, recomendamos a leitura deste outro artigo no qual mostramos 9 remédios caseiros para fungos no couro cabeludo.

Tipos de fungos na pele e como eliminá-los - Fungos no couro cabeludo

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Tipos de fungos na pele e como eliminá-los, recomendamos que entre na nossa categoria de Pele, cabelo e unhas.

Escrever comentário
O que lhe pareceu o artigo?
1 de 5
Tipos de fungos na pele e como eliminá-los