Partilhar

Velocidade de hemossedimentação alterada: causas

Por Leonardo Simon. Atualizado: 6 agosto 2018
Velocidade de hemossedimentação alterada: causas

Certamente este termo, para que não sabe muito sobre saúde, é de difícil discussão, no entanto, é importante que o resultado deste exame seja analisado por um especialista, sobretudo se estiver relacionado com uma série de sintomas importantes.

A velocidade de hemossedimentação, medicamente conhecida como velocidade de sedimentação globular, ou taxa de sedimentação de eritrócitos, é um exame extremamente importante na hora de determinar a resposta inflamatória de uma pessoa, mas por que seus valores ficam alterados? Quais são as razões mais importantes? Você conhece os valores normais? No artigo a seguir da ONsalus contamos para você sobre a velocidade de hemossedimentação alterada: causas.

Também lhe pode interessar: Nitritos na urina: o que significa

VHS alta: causas

São muitos os fatores que podem influenciar nas modificações da velocidade de sedimentação globular. Embora não seja um método de diagnóstico específico, permite determinar algumas doenças agudas ou crônicas, ou processos infecciosos, de acordo com seus valores e de acordo se a pessoa se encontra sintomática ou não.

É normal encontrar a velocidade de hemossedimentação alterada, sendo tendência que os valores normais se encontrem altos na presença de infecções virais ou bacterianas, como por exemplo:

  • Amigdalite.
  • Sinusite.
  • Gripe.
  • Pneumonia.

Por outro lado, através das alterações na velocidade de hemossedimentação, pode-se fazer o acompanhamento de algumas doenças, já que ela mede a velocidade em que os glóbulos vermelhos e o plasma se separam por ação da gravidade. Isto acontece desta forma quando há um processo inflamatório que diminui a viscosidade do sangue, aumentando a velocidade de sedimentação.

Uma velocidade de hemossedimentação alta nas mulheres fica acima de 20 mm e nos homens acima de 15 mm, e isto pode acontecer por causa de doenças como:

  • Arterite temporal: nada mais é que um processo inflamatório dos vasos sanguíneos, caracterizado pela oclusão da artéria e inflamação sistêmica, para o diagnóstico é evidenciada alteração na velocidade do sangue.
  • Artrite reumatoide: é uma doença inflamatória crônica e autoimune, a velocidade de hemossedimentação pode estar alterada porque é um indicador de inflamação, mas não representa um método de diagnóstico específico.
  • Polimialgia reumática: processo inflamatório que gera dor e rigidez muscular no pescoço, ombros, quadris e outras partes do corpo. O normal é que a velocidade de sedimentação globular também se encontre aumentada ante esta doença.
  • Tuberculose: doença infectocontagiosa, que é transmitida de pessoa para pessoa e que representa um problema de saúde público, é provável que os valores de sedimentação de eritrócitos se mostrem alterados no caso de existir a doença da tuberculose, mas não é um método de diagnóstico eficaz.
Velocidade de hemossedimentação alterada: causas - VHS alta: causas

VHS baixa: causas

Assim como a velocidade sanguínea aumenta com as alterações que acabamos de explicar, também há doenças que podem provocar velocidade de hemossedimentação baixa. Não é uma alteração específica, ou seja, não nos indica uma só causa, mas pode ser um indicativo de certas doenças relacionadas com os glóbulos vermelhos. A seguir lhe explicamos as causas da velocidade de hemossedimentação baixa:

  • Policitemia: transtorno sanguíneo onde se produzem muitos glóbulos vermelhos.
  • Drepanocitose: ou anemia de células falciformes, aparece devido a uma mutação cromossômica na qual os glóbulos vermelhos mudam sua característica física para forma de foice ou ferradura.
  • Diminuição de proteínas plasmáticas: por patologias hepáticas ou renais, lembremos que estas proteínas, a albumina, as globulinas e o fibrinogênio, proporcionam diversas funções, entre elas imunológicas, circulatórias e de pressão plasmática.
  • Ingestão de alguns medicamentos: como aspirina e cortisona podem diminuir a velocidade de sedimentação globular como efeito colateral.

VHS: valores de referência

Os valores normais da velocidade de hemossedimentação oscilam entre:

  • Em mulheres de 6 a 20 mm/h.
  • Em homens entre 3 a 15 mm/h.

É normal a realização deste exame quando busca-se determinar a melhora de alguma doença inflamatória (já que se o valor estava aumentando no início, com a melhora da patologia este valor diminuirá gradualmente) ou quando um paciente apresenta alguns sintomas particulares como:

  • Mialgia ou dores musculares.
  • Febre súbita e sem causa aparente.
  • Linfadenopatias ou aumento de volume dos gânglios linfáticos.

Estes sintomas mais a solicitação da velocidade de hemossedimentação e também a solicitação da proteína C reativa (exame sanguíneo capaz de identificar germes a nível microscópico) são de ajuda para a orientação sobre as causas específicas.

Desta maneira, é essencial saber que o médico, em conjunto com o histórico clínico do paciente, e os resultados laboratoriais, darão o diagnóstico apropriado e, por sua vez, o tratamento que merece.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Velocidade de hemossedimentação alterada: causas, recomendamos que entre na nossa categoria de Medicação e testes médicos.

Escrever comentário sobre Velocidade de hemossedimentação alterada: causas

O que lhe pareceu o artigo?
1 comentário
A sua avaliação:
Rodrigo Lima
Valeu cara, excelente conteúdo!

Velocidade de hemossedimentação alterada: causas
1 de 2
Velocidade de hemossedimentação alterada: causas

Voltar ao topo da página