Partilhar

Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento

 
Por Leonardo Simon. 4 setembro 2019
Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento

O ácido fólico pertence ao grupo de vitaminas B, as quais são indispensáveis no organismo para poder manter um bom estado de saúde. Geralmente, quando se fala sobre ele, é sobre sua falta, a qual causa um grande número de alterações. Contudo, é bom que você saiba que o excesso de ácido fólico no organismo pode ser produzido pelo consumo de alimentos ricos nesta vitamina e através de suplementos vitamínicos.

O aumento desta vitamina pode gerar desde interações medicamentosas, reações alérgicas e sintomas que podem indicar o aumento dos seus níveis no sangue. Neste artigo do ONsalus, você conhecerá muito mais sobre o ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento.

Também lhe pode interessar: O que é RDW

Ácido fólico alto no sangue: o que significa

A principal causa do aumento do ácido fólico no sangue é vista nas mulheres durante a gravidez, e costuma ocorrer pelo aumento do consumo de multivitamínicos a base de ácido fólico e vitamina B12, combinado com a ingestão de alimentos ricos em folato.

Nas pessoas mais velhas, pode-se observar o aumento do ácido fólico resultado da baixa concentração em plasma de vitamina B12, o que gera o aumento da mesma.

Quantidade diária recomendada imentos folicode ácido fólico

As pessoas ingerem esta vitamina através dos alimentos ricos em ácido fólico. A forma artificial da mesma é conhecida como folato, sendo que esta vai dentro das fórmulas vitamínicas, como as pílulas e alguns alimentos fortificados, tais como os cereais.

Esta vitamina é popularmente conhecida como ácido fólico, indiferente da forma em que se encontrar. Sua ingestão comum é feita através da dieta diária e dos suplementos.

A quantidade de ácido fólico por dia necessária depende da idade, sexo e, no caso das mulheres, se se encontram grávidas ou não:

  • Adultos devem consumir 400 mcg de folato.
  • No caso das mulheres que desejam engravidar ou estejam grávidas, devem tomar de 400 a 800 mcg de ácido fólico ao dia.

O folato encontrado nos alimentos não tem um limite superior ao nível daqueles que as pessoas consomem através dos suplementos. Os suplementos de ácido fólico tem um limite superior de 1000 mcg/dia, é por isto que os adultos mais velhos, os vegetarianos e qualquer pessoa que esteja em uma dieta que necessite a ingestão de ácido fólico, deve saber a quantidade de alimentos que consome ricos neste nutriente e a quantidade que ingere na forma de suplemento. Com isto, evitará o aumento excessivo de ácido fólico no organismo.

Ácido fólico: dosagem

O ácido fólico deve ser administrado por via oral da seguinte forma de acordo com o tipo de doença que o paciente apresentar:

  • No caso de ácido fólico baixo: a dose vai de 250 mcg a 1 mg ao dia.
  • Caso se trate de prevenir defeitos do tubo neural nas mulheres grávidas, estas devem consumir 400 mcg de ácido fólico ao dia. Aquelas que em gravidezes anteriores tenham apresentado esta alteração devem ingerir 4 mcg ao dia antes de engravidarem e continuar tomando por 3 meses seguidos.
  • A dose a ser ingerida no tratamento dos níveis elevados de homocisteína no sangue deve ser de 200 mcg a 15 mcg ao dia, em alguns casos, foi preciso aumentar esta dose até 800 mcg ao dia.
  • Caso se trate de uma pessoa com uma doença renal terminal, pode-se chegar a prescrever até 40 mg ao dia.
  • Caso se deseje melhorar a resposta dos medicamentos indicados na depressão, é preciso utilizar entre 200 e 500 mcg ao dia de ácido fólico.
  • Nos casos onde seja necessário prevenir uma degeneração macular, recomenda-se tomar 2,5 mg de ácido fólico e 1 mcg de vitamina B12 uma vez ao dia.
  • Quando se trata de sua aplicação na pele, especialmente, nas gengivas durante a gravidez, recomenda-se usar enxaguante bucal com ácido fólico 2 vezes ao dia por 1 minuto.
  • Nos casos onde seja necessário aplicar de forma injetável para diminuir os níveis de homocisteína em pessoas que sofram de doença renal em etapa terminal, é necessário colocar por via intravenosa 10 mg após a hemodiálise durante 3 vezes por uma semana.
  • Para crianças que apresentam problemas nas gengivas causado por um medicamento conhecido como Fenitina, recomenda-se o uso de 500 mcg de ácido fólico 1 vez ao dia.
Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento - Ácido fólico: dosagem

Ácido fólico alto: sintomas

Os riscos que você pode ter devido ao ácido fólico são muito baixos. O ácido fólico é uma vitamina solúvel em água que eliminamos através da urina, apesar disso, quando ingerida em doses elevadas e durante um longo período de tempo, pode causar as seguintes alterações ou sintomas:

  • Transtornos do sono
  • Erupções
  • Irritabilidade
  • Confusão
  • Cãibras abdominais
  • Desconfortos estomacais
  • Diarreia
  • Náuseas
  • Reações na pele
  • Excitabilidade
  • Convulsões

Quando o consumo de ácido fólico é superior a 1 ou 2 mg ao dia por um tempo prolongado, pode aumentar o risco de sofrer de infarto do miocárdio, além de sofrer doenças como câncer de pulmão ou de próstata.

Existem algumas considerações especiais que é preciso ter com determinadas doenças, entre elas, estão:

  • Transtornos convulsivos: o excesso de ácido fólico poderia piorar o quadro de convulsões nas pessoas que sofram desta alteração.
  • Gravidez e lactância: durante esta etapa, sua ingestão controlada não gera nenhuma complicação, do contrário, deve-se ir ao obstetra, ele se encarregará de ajustar a dose adequada ao estado de gestação.
  • Nos casos onde seja necessária a prática de uma angioplastia, o excesso desta vitamina poderia agravar a obstrução das artérias. O uso do ácido fólico não é recomendado nas pessoas que foram submetidas a este procedimento.
  • Cardiopatias: a ingestão de ácido fólico e de vitamina B6 pode aumentar o risco desta alteração em pessoas que a sofram.
  • Câncer: nas pessoas que sofrem desta doença, deve-se restringir o consumo de ácido fólico em doses elevadas para evitar os riscos que esta doença possui.
  • Malária: os níveis elevados de ácido fólico nas pessoas que sofrem desta doença podem gerar alterações durante o tratamento.

Tratamento do ácido fólico alto

O aparecimento de alguns sintomas mencionados no ponto anterior pode indicar que você tem o ácido fólico elevado. Nesse vaso, a melhor coisa a se fazer é ir ao seu médico de confiança, ele, com a avaliação médica e a análise laboratorial, dará o diagnóstico preciso da alteração.

Uma vez feito o diagnóstico, o tratamento se baseia na diminuição ou suspensão do consumo de ácido fólico e até mesmo o controle dos alimentos com elevado conteúdo em folatos.

É incomum ter o ácido fólico alto no sangue, se este for o seu caso, não deixe de consultar um médico para tomar as medidas necessárias, caso precisar.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Sangue, coração e circulação.

Escrever comentário sobre Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento

O que lhe pareceu o artigo?

Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento
1 de 2
Ácido fólico alto: sintomas, causas e tratamento

Voltar ao topo da página