menu
Partilhar

Amenorreia hipotalâmica: o que é, causas, sintomas e tratamento

 
Por Redação ONSalus. 30 agosto 2021
Amenorreia hipotalâmica: o que é, causas, sintomas e tratamento

A falta de menstruação ou amenorreia gera bastante preocupação para quem a sofre. É claro que, antes de mais nada, devem ser descartadas as causas mais comuns da menstruação não descer, como por exemplo, a gravidez.

A amenorreia hipotalâmica surge devido a uma alteração na secreção de hormônios por parte do hipotálamo, uma estrutura localizada no sistema nervoso central, na cabeça. Isto pode ser provocado por diversas causas diferentes, sendo as mais comuns o estresse ou alterações nutricionais.

Você acha que este pode ser o seu caso? Então não deixe de ler esta artigo do ONsalus, no qual encontrará informações sobre o que é a amenorreia hipotalâmica, suas causas, sintomas e tratamento.

O que é a amenorreia hipotalâmica?

Amenorreia é a falta de menstruação. Ela pode ocorrer desde sempre, ou seja, a mulher nunca ter tido uma menstruação, sendo chamada, neste caso, de amenorreia primaria.

Outra forma mais frequente de aparecer é como uma amenorreia secundária. Diagnosticada quando faltam 3 períodos seguidos. A causa mais comum é a gravidez, mas pode ser devida a muitas outras razões diferentes.

É dito que uma amenorreia é hipotalâmica quando o hipotálamo não produz os hormônios necessários para que os ovários gerem a cascata de hormônios e reações metabólicas responsáveis por gerar a menstruação e a ovulação.

Causas da amenorreia hipotalâmica

Basicamente, o hipotálamo deixa de liberar hormônios que estimulam os ovários, desta forma, o ciclo normal feminino não é produzido. Isto implica que não há menstruação nem ovulação.

Entre as causas que podem provocar a amenorreia hipotalâmica é possível citar:

Estresse

O efeito da ansiedade e do estresse pode ser bastante marcante no seu corpo. As reações de alerta desencadeiam a liberação de adrenalina e cortisol, as quais interferem diretamente nos processos normais do organismo, entre eles, a produção de hormônios pelo hipotálamo.

Privação nutricional

Uma alimentação pobre em nutrientes pode fazer com que o metabolismo e os sistemas hormonais não funcionem adequadamente. Neste caso, aumentam as substâncias como a adrenalina, favorecendo diversas reações pouco saudáveis, como por exemplo, a falta de menstruação.

Este tipo de desequilíbrio pode ser notado por causa de:

  • Dietas muito restritivas, com falta de nutrientes e vitaminas.
  • Falta de ingestão de alimentos (por exemplo, nos casos de bulimia).
  • Excesso de alimentos pouco saudáveis e nutritivos na dieta.
  • Consumo de álcool, tabaco e café em excesso.

Excesso de exercícios

Praticar muitos exercícios físicos é tão prejudicial quanto não praticá-los. O fato de submeter o organismo a exigências esportivas em excesso favorece vários desequilíbrios como: ressecamento corporal, ansiedade, transtornos do sono, alterações na digestão e no sistema hormonal, entre elas, alterações na menstruação e ovulação.

Mudanças bruscas de peso

Aumentar o diminuir de peso muito rapidamente pode provocar alterações menstruais deste tipo, sobretudo, se teve estas mudanças por causa de estresse ou também a partir de dietas pouco saudáveis.

Sintomas da amenorreia hipotalâmica

A amenorreia hipotalâmica se caracteriza, primeiramente, pela falta de período menstrual. Além disso, podem ter outros sintomas associados, tanto a curto quanto a longo prazo.

A curto prazo, ou seja, que pode surgir junto com a amenorreia, pode notar algumas alterações como:

  • Puberdade atrasada: quer dizer que não aparecem as características corporais específicas desta etapa da vida, como pode ser o crescimento das mamas ou o aumento do pelo pubiano e axilar.
  • Infertilidade: quando os hormônios não são produzidos de forma adequada, não somente se interrompe o ciclo ovárico, que se manifesta com a amenorreia, como também se interrompe a ovulação. Então, pode tentar engravidar, mas não conseguirá porque terão saído óvulos do ovário que possam ser fecundados. Por outro lado, a falta de hormônios também altera a normalidade no útero e no resto do organismo, certamente dificultando uma gravidez.

Também podem aparecer sintomas gerais como:

  • Pressão baixa.
  • Tonturas.
  • Arritmias cardíacas.

Por outro lado, se a condição da amenorreia hipotalâmica não melhorar com o passar do tempo, a longo prazo pode gerar alguns sintomas relacionados com outras partes do organismo. Isto acontece justamente porque os hormônios secretados pelo hipotálamo e ovários não só regulam a função reprodutiva, como influenciam em muitas outras áreas do corpo:

  • Perda de massa óssea: se não há um bom funcionamento hormonal, os ossos sofrem as consequências. Ficarão mais frágeis, podem ter osteoporose e, inclusive, podem ser fraturados. É possível notar a fraqueza dos seus ossos através do estado dos seus dentes e unhas.
  • Aterosclerose: o metabolismo das gorduras também é alterado pela má circulação, resultado não apenas da alteração hormonal, mas também das causas que provocam a amenorreia hipotalâmica (estresse, alimentação ruim, excesso de exercícios).

É por isso que não é bom manter esta condição por muito tempo.

Tratamento da amenorreia hipotalâmica

O mais importante para corrigir o problema subjacente da amenorreia hipotalâmica é concentrar-se na causa da alteração. É possível fazer isso através de bons hábitos,que incluem: alimentação saudável, bom descanso noturno, exercícios de acordo com sua capacidade física e práticas que permitam acalmar a mente.

Isto é sugerido como tratamento inicial para todas as mulheres que sofrem com esta desordem, já que de outra forma pode se estar mascarando a verdadeira situação.

Em alguns casos, nos quais se deseja engravidar, existem profissionais que indicam hormônios para suplementar a falta destes que a mulher pode estar tendo, mas isto não é muito recomendável, já que uma gravidez onde a mulher não está em plena capacidade física, certamente, levará a complicações tanto para ela quanto para o feto, tais como o parto prematuro, crianças abaixo do peso ao nascer ou com outros problemas de saúde.

É por isso que é muito melhor corrigir o desequilíbrio original, assim, todo o organismo estará preparado para suportar a gravidez.

A suplementação com anticoncepcionais não é recomendada sob nenhuma hipótese para trazer de volta a menstruação. A mulher estaria apenas corrigindo o sintoma mais superficial da amenorreia, que é a falta de menstruação. A suplementação com hormônios sintéticos não supre em nada a secreção natural de hormônios femininos.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Amenorreia hipotalâmica: o que é, causas, sintomas e tratamento, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Bibliografia
  • Amenorrea hipotalámica funcional: Guía de práctica clínica. Functional hypothalamic amenorrhea: an Endocrine Society Clinical Practice Guideline.
  • Shufelt CL, Torbati T, Dutra E. Hypothalamic Amenorrhea and the Long-Term Health Consequences. Semin Reprod Med. 2017 May;35(3):256-262. doi: 10.1055/s-0037-1603581. Epub 2017 Jun 28. PMID: 28658709; PMCID: PMC6374026.
  • Sophie Gibson ME, Fleming N, Zuijdwijk C, Dumont T. Where Have the Periods Gone? The Evaluation and Management of Functional Hypothalamic Amenorrhea. J Clin Res Pediatr Endocrinol. 2020 Feb 6;12(Suppl 1):18-27. doi: 10.4274/jcrpe.galenos.2019.2019.S0178. PMID: 32041389; PMCID: PMC7053439.
  • Sowińska-Przepiera E, Andrysiak-Mamos E, Jarząbek-Bielecka G, Walkowiak A, Osowicz-Korolonek L, Syrenicz M, Kędzia W, Syrenicz A. Functional hypothalamic amenorrhoea — diagnostic challenges, monitoring, and treatment. Endokrynol Pol. 2015;66(3):252-60. doi: 10.5603/EP.2015.0033. PMID: 26136135.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?
Amenorreia hipotalâmica: o que é, causas, sintomas e tratamento
Amenorreia hipotalâmica: o que é, causas, sintomas e tratamento

Voltar ao topo da página