Partilhar

Bolinhas na vagina: causas e tratamentos

 
Por Leonardo Simon. 21 maio 2019
Bolinhas na vagina: causas e tratamentos

Assim como outras partes do corpo são mais conhecidas, a vagina e a região íntima da mulher não costumam ter a atenção que deveriam, seja por vergonha ou por tabus, e a maioria das mulheres desconhece aspectos muito importantes de sua própria anatomia. As bolinhas na vagina costumam ser causadas por pequenas inflamações nas glândulas que ali se localizam, embora possam ter outras origens.

É por isso que no seguinte artigo vamos te explicar detalhadamente quais são as causas das bolinhas na vagina, assim como o tratamento que você deve seguir para cada uma delas. Embora em maioria não representem um problema grave de saúde, você deve saber que qualquer alteração que dure mais de uma semana requer uma visita ao ginecologista. Continue lendo, pois te contamos mais sobre este assunto - bolinhas na vagina: causas e tratamentos.

Também lhe pode interessar: Caroço na vagina: causas e tratamentos

Espinha nos grandes lábios

Conforme a depilação íntima feminina foi se tornando popular, os casos de foliculite aumentaram exponencialmente. Isto não é anormal, uma vez que a depilação com pinças, cera ou lâminas aumenta o risco de que um pelo encrave e cause a foliculite. Os primeiros sintomas desta condição são o avermelhamento da região, o aparecimento de um pequeno caroço que dói e, finalmente, uma pequena bolinha de pus na vagina. Estas espinhas na vagina são causadas pelo pus que se acumula sob a pele.

Geralmente, a foliculite na vagina não requer nenhum tratamento especial, uma vez que é uma condição da derme que desaparece por si só quando o pelo cresce e sai para a superfície. No entanto, devemos evitar espremer a bolinha de pus na vagina para evitar infecções. Do mesmo modo, você deve seguir as seguintes recomendações para melhorar a foliculite e evitar que o desconforto provocado por espinhas nos grandes lábios piore:

  • Utilizar roupas folgadas para reduzir o atrito.
  • Não raspar nem depilar a área.
  • Lavar-se bem com sabão neutro antibacteriano.
  • Utilizar roupa íntima de algodão limpa.
  • Depois do banho, se secar com cuidado, evitando esfregar a pele.

Caso a foliculite não se deva a um pelo encravado, mas sim à presença de fungos (foliculite micótica) ou por estafilococos, será necessário utilizar medicamentos antifúngicos ou antibacterianos, seja através da aplicação de óvulos ou de pomadas. Por outro lado, a aplicação de compressas quentes sobre a área pode te ajudar a aliviar sintomas mais desconfortáveis da foliculite. De qualquer forma, é o médico quem deve decidir o tratamento mais adequado para o seu caso.

Bolinhas na vagina: causas e tratamentos - Espinha nos grandes lábios

Furúnculo na vagina

No parágrafo anterior explicamos como evitar que a foliculite evolua, o fato é que o furúnculo é a consequência da infecção de um folículo e, entre outras causas, pode ocorrer devido a uma foliculite mal tratada. Quando falamos de um furúnculo nos referimos a inflamações, apresentadas como bolinhas vermelhas na vagina, que causam dor, ardência e coceira.

Embora geralmente surjam na virilha, também podem aparecer na entrada da vagina, na vulva ou nos lábios vaginais. Geralmente, a causa é uma infecção de algum folículo piloso no qual bactérias se proliferaram.

O furúnculo é uma inflamação localizada que forma um caroço na vagina de cor avermelhada, que causa sintomas como dor e desconforto. Pode surgir na virilha, nos grandes lábios ou na entrada da vagina.

O que diferencia um furúnculo de outras condições são os seguintes sintomas:

  • Com o passar dos dias vai aumentando de tamanho.
  • Não provoca apenas dor, mas também coceira e ardência.
  • Passada uma semana não se vê nenhuma melhora.
  • Pode provocar um pouco de febre.
  • Pode causar mal-estar general.

O tratamento dos furúnculos vulvares costuma ser feito através de pomadas antibióticas, a fim de prevenir que estes acabem evoluindo para abscessos. Do mesmo modo, o uso de compressas quentes, assim como o acompanhamento dos conselhos que explicamos anteriormente, podem ajudar a melhorar significativamente os sintomas. Na presença de algum deles, é essencial consultar um ginecologista para que ele possa fazer um diagnóstico preciso.

Bolinhas na vagina: ducto de Skene

Na parte superior da vagina, próximas ao ponto G feminino e cercando a uretra encontramos as glândulas de Skene, as glândulas responsáveis por segregar o lubrificante durante as relações sexuais e de provocar a ejaculação feminina.

Durante a excitação feminina, estas glândulas vão se enchem de um líquido muito parecido com água e que não é urina, que é expelido na hora do orgasmo. Uma infecção nestas glândulas provoca uma obstrução dos ductos, o que acaba levando aos cistos vaginais. Embora em um primeiro momento possa ser assintomático, uma vez que vá se agravando, surgem os sintomas da obstrução do ducto de Skene além do aparecimento da bolinha na vagina, que são:

  • Relações sexuais dolorosas.
  • Pode surgir febre.
  • Vontade constante de urinar sem conseguir.
  • Dor ao urinar.
  • Infecções urinárias frequentes.

Um cisto no ducto de Skene, não apresenta sintomas quando é pequeno, por isso que é normal que não seja sequer notado. Muitas vezes são descobertos em uma revisão geral com o ginecologista. É por isso que é importante consultar o especialista pelo menos uma vez por ano e, na presença de qualquer mal-estar ou anomalias, consultá-lo de imediato.

Bolinhas na vagina: causas e tratamentos - Bolinhas na vagina: ducto de Skene

Bolinha interna nos grandes lábios: Bartolinite

Por sua vez, as glândulas de Bartolino estão localizadas entre as paredes vaginais e os lábios menores, e sua função é a de lubrificar a vagina. Contudo, quando o orifício pelo qual é expelida a lubrificação é bloqueado, esta fica interrompida, acumulando e causando cistos dolorosos em forma de bolinha interna nos grandes lábios, que podem acabar causando uma infecção. Dependendo do caso, a bolinha na vagina pode ser maior ou menor, podendo chegar aos 5 centímetros. Outros dos sintomas causados por esta condição são:

  • A área aumenta de temperatura.
  • Relações sexuais dolorosas.
  • Dor ao se sentar ou ao andar.
  • Os caroços podem surgir nos dois lados da vagina.
  • Aparecimento de febre.

Os cistos na glândula de Bartholin, mais conhecidos pelo nome de bartolinite, podem chegar a afetar 2% das mulheres[1] e, entre suas principais causas, destacamos as seguintes:

  • Estresse.
  • Uso de roupas íntimas muito justas.
  • Ingestão de certos anticoncepcionais orais.

É importante que você visite seu ginecologista na suspeita de que possa estar sofrendo de bartolinite, uma vez que será ele quem iniciará o tratamento fazendo uma pequena incisão que ajude a drenar o líquido e desfaça a inflamação. Por sua vez, você deve fazer banhos de água morna durante alguns dias para que, assim, o abscesso vá sendo drenado e você se recupere. Nos casos mais graves, será necessário sondar a paciente para que a glândula vá desinflamando e, no caso de infecção, receitar antibióticos para combatê-la.

Bolinhas de gordura na vagina

Os cistos são pequenas bolsas cheias de líquido ou ar que podem se desenvolver na parede vaginal e que, normalmente, costumam ter como origem lesões provocadas durante as relações sexuais ou na gravidez. Um exemplo claro deste tipo de cistos é o de Gartner, muito comum em mulheres grávidas, e em cuja origem encontramos o acúmulo de líquido nos meses que dura a gestação. Este ducto costuma desaparecer nas semanas posteriores ao parto, apesar disso, algumas mulheres podem permanecer com ele.

Geralmente os cistos vaginais não causam nenhum tipo de sintoma, além da sensação de tê-los e, precisamente por isso, não requerem de nenhum tratamento além do controle rotineiro para ver se vão aumentando de tamanho.

Por outro lado, encontramos as bolinhas de gordura na vagina, medicamente conhecidas como cistos sebáceos. Embora normalmente costumem aparecer no rosto, atrás das orelha ou no tronco, no caso das mulheres também podem crescer em sua área íntima. Caso infectem, o tratamento comum é a remoção cirúrgica.

Bolinhas de sangue na vagina: varizes

Embora estejamos mais acostumados a vê-las em outras área do corpo, como nas pernas ou nos seios, as varizes também podem aparecer na região genital. Normalmente, surgem durante a gravidez ou, simplesmente como consequência do envelhecimento. As varizes genitais costumam surgir como uma pequena bolinha de tonalidade roxa que, embora não cause dor, provoca mal-estar, coceira e formigamento.

Sobretudo nos casos que aparecem durante a gravidez, geralmente não é necessário nenhum tratamento, uma vez que tendem a desaparecer com o passar dos meses. Apesar disso, quando estas aparecem devido à idade ou a outras condições, e se tornam muito incômodas para a mulher, podem ser corrigidas com uma pequena cirurgia caso o ginecologista ache necessário.

Bolinhas na vagina: causas e tratamentos - Bolinhas de sangue na vagina: varizes

Verrugas na vagina: HPV

As verrugas genitais são a manifestação física do Vírus do Papiloma Humano (HPV). Embora seja conhecido por este nome, a verdade é que existem mais de 100 tipos, não obstante, as verrugas na vagina costumam ser causadas pelo tipo 6 e 11. O HPV é um vírus de propagação muito fácil, o que faz com que seja uma das DST mais propagadas de todo o mundo e, no caso de apresentar verrugas, o contágio através das relações sexuais é muito fácil.

As verrugas genitais podem ser uma das causas dos caroços ou bolinhas na vagina. Você deve saber que não existe cura para o vírus, por isso que a única forma de eliminá-las é através da remoção com diferentes métodos. Apesar disso, com o passar do tempo elas podem reaparecer.

As verrugas na vagina podem ser de diferentes formatos, mas são essencialmente protuberâncias que aparecem na pele ou na membrana mucosa da vagina que costumam ser da mesma cor da carne e suaves ao tato. Elas podem ser planas ou mais elevadas, grandes ou pequenas e, por fim, podem crescer uma em cima da outra, formando sua característica forma de couve-flor.

Por outro lado, você deve saber que algumas destas verrugas podem acabar desenvolvendo um câncer, por este motivo, diante de uma leve suspeita de sofrer de HPV, você deve visitar o ginecologista para iniciar o tratamento indicado.

Bolha na vagina: herpes genital

A herpes genital é outra das principais doenças sexualmente transmissíveis. Normalmente ocorre devido à herpes simples tipo 2, embora também possa ser causada pela herpes simples tipo 1. Costuma ser transmitida através do sexo oral com uma pessoa infectada ou através de relações sexuais sem proteção. É uma doença que, em alguns casos, pode ser muito difícil de ser detectada, não obstante, é de vital importância você evitar contagiar seus parceiros sexuais e, do mesmo modo, iniciar o tratamento adequado.

Dizemos que é difícil de ser detectada porque é comum não apresentar sintomas, ou que eles só apareçam nos momentos em que estamos com a imunidade baixa. Nessas alturas, os sintomas da herpes genital vão incluir o aparecimento de bolinhas na vagina, como uma espécie de bolha nos grandes lábios que dói, e outras características:

  • Mal-estar geral.
  • Febre.
  • Dores musculares.
  • Inflamação dos gânglios da virilha.

Infelizmente, não existe uma cura definitiva para a herpes genital, apenas o tratamento que ajuda a diminuir a intensidade dos surtos e a aliviar os sintomas. Alguns dos medicamentos mais receitados são o valaciclovir e o aciclovir, antivirais que agirão contra a dor, ardência e coceira das bolinhas na vagina.

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Bolinhas na vagina: causas e tratamentos, recomendamos que entre na nossa categoria de Sistema reprodutor feminino.

Referências
  1. Marín Pérez, G. L. (2014). Factores de riesgos correlacionados con bartolinitis en las mujeres hospitalizadas en el área de ginecología del Hospital Teófilo Dávila del 2008 – 2012 en la ciudad de Machala (tesis de pregrado). UTMACH, Unidad Académica de Ciencias Química y de la Salud, Machala, Ecuador.

Escrever comentário sobre Bolinhas na vagina: causas e tratamentos

O que lhe pareceu o artigo?

Bolinhas na vagina: causas e tratamentos
1 de 4
Bolinhas na vagina: causas e tratamentos

Voltar ao topo da página