menu
Partilhar

Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais

 
Por Dra. Ivonne Nieves Blanco, Médica Cirurgiã. 12 julho 2021
Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais

Muitos jovens e adolescentes já sofreram ou sofrem com este tipo de espinha, que causa uma grande limitação ou preocupação em suas vidas pois não sabem como tratá-la.

Nas pessoas que sofrem desta alteração, o que mais se vê afetado é a parte física e emocional, devido às lesões que esta doença gera. É importante prestar atenção a ela, já que do contrário, pode deixar cicatrizes na pele, as quais podem ser muito difíceis de restaurar.

Este é um tipo de espinha muito grave que, em muitos casos, afeta a autoestima de quem a sofre. Como solução, os paciente somente ficam bem se isolando do seu círculo social e familiar. Devido à natureza agressiva das lesões, ela acaba sendo fácil de ser diagnosticada; apesar disso, é importante fazer um acompanhamento com um(a) dermatologista, pois são os especialistas encarregados por tratar esta alteração. No seguinte artigo do ONsalus, você conhecerá o que é a espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais para tratar tal problema.

Também lhe pode interessar: Espinhas nos seios: causas e tratamento

O que é a espinha cística

A acne cística é uma doença que surge na pele na forma de lesões císticas, pápulas e pústulas, que produzem lesões profundas e inflamatórias abaixo da pele, muito sensíveis e dolorosas. Este tipo de acne aparece com bastante frequência no rosto, também podendo aparecer nas costas, ombros, parte superior dos braços e no peito. Devido à sua profundidade e ao tipo de lesão, deixa cicatrizes.

A espinha cística é um dos tipos mais graves de acne, sendo que o tamanho das lesões é maior em relação ao das acnes comuns. Esta condição pode diminuir a autoestima, levando a uma possível depressão.

Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais - O que é a espinha cística

Causas da espinha cística

São várias as causas que podem desencadear a espinha cística, dentro delas podemos citar:

  • Fatores genéticos.
  • Fatores hormonais. O excesso de atividade hormonal produzido pelos andrógenos, os quais estão em maior quantidade nos jovens.
  • Produção de gordura em excesso.
  • Obstrução das glândulas sebáceas, folículos pilosos de gordura ou células mortas.
  • Presença de bactérias.
  • Má alimentação.
  • Estresse.
  • Fatores ambientais.
  • Medicamentos, incluindo os esteroides e hormonais (estrógenos e testosterona).

Tratamento da espinha cística

O tratamento da acne cística deve ser indicado por um médico especialista, neste caso, o dermatologista. Ele vai te indicar a terapêutica a ser seguida do ponto de vista médico para:

  • Controlar a espinha.
  • Evitar danos profundos e irreparáveis na pele.
  • Diminuir a produção de gordura.
  • Tratar as infecções resultado da proliferação de bactérias alojadas nas lesões císticas.
  • Diminuir a inflamação e, desta forma, evitar a formação de cicatrizes.

Devido ao tipo das lesões, em alguns casos pode demorar para que os resultados apareçam; após o início do tratamento, pode demorar entre 4 a 8 semanas e, em muitos casos, pode piorar antes de se ver a melhora.

O tratamento vai depender da idade e também do tipo das lesões que o paciente apresentar; o médico se encarregará por prescrever uma combinação de medicamentos de uso tópico e oral que podem ser:

  • Antibióticos.
  • Retinoides.
  • Ácido salicílico.
  • Produtos hormonais como os anticoncepcionais orais.
Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais - Tratamento da espinha cística

Remédios naturais para o tratamento da espinha cística

Existem produtos naturais ao nosso alcance com excelentes propriedades terapêuticas capazes de estimular e curar as lesões causadas por este tipo de espinha:

1. Mel de Abelha

É um produto natural que possui propriedades anti-inflamatórias e bactericidas. Deve ser passado uma pequena camada de mel de abelha sobre as lesões, em seguida, deixe agir por 30 minutos. Depois, enxague o local com água morna. Deve ser aplicado diariamente até as lesões melhorarem.

2. Óleo de coco

É um excelente hidratante, possui propriedades antimicrobianas além de melhorar o aspecto da pele conforme exerce seu efeito terapêutico. É aplicado como uma máscara sobre as áreas afetadas, devendo ser deixado sobre a pele. Repita este tratamento todas as noites até obter a melhora desejada.

3. Cúrcuma

É um produto natural com efeito antioxidante e antibacteriano, age limpando os poros e desinflamando as lesões. É aplicado umedecendo o pó de cúrcuma em água até formar uma pasta, depois esta pasta é colocada na área da lesão por 30 minutos e, em seguida, deve ser retirada com água corrente. Deve ser aplicada 3 vezes por semana.

4. Aspirina

Contém ácido salicílico, muito utilizado para diminuir as lesões da espinha, além de agir como protetor contra os raios solares. Seu uso externo promove a remoção das células mortas, equilibra a secreção das glândulas sebáceas e tem efeito anti-inflamatório.

Para sua aplicação é preciso triturar alguns comprimidos de aspirina. Em seguida, deve ser feita uma pasta com a aspirina, água e suco de limão para aplicar sobre a lesão, deixando agir por 30 minutos. Depois, enxague com água morna corrente. É necessário aplicar esta mistura 3 vezes na semana durante a noite, a fim de evitar efeitos colaterais por causa da interação com a luz solar.

5. Aloe verao ou babosa

Esta planta possui propriedades antioxidantes e hidratantes, estimula a regeneração celular, previne o aparecimento de cicatrizes, rugas e manchas. É utilizado o gel da folha, sendo aplicado em todas as lesões e deixando agir por 30 minutos, depois, retira-se o gel com água morna. Deve ser aplicado todas as noites, antes de ir dormir.

6. Vinagre de maça

Suas propriedades são excelentes para controlar o pH da pele, além disso, diminui o excesso de produção de gordura e, consequentemente, as bactérias.

Para sua aplicação, se mistura em partes iguais água e vinagre de maçã, em seguida, umedeça um maço de algodão com a solução e coloque-o sobre as lesões. Esta solução deve ser aplicada diariamente, 2 vezes ao dia.

São vários os benefícios obtidos com a aplicação destes produtos. Caso isso não ocorra, ou seja, se não obtiver melhoras das suas lesões, não hesite em consultar um dermatologista. Ele te indicará o tratamento a ser seguido de acordo com os sintomas e a lesão que apresentar.

Agora que você já sabe as causas e como tratar a espinha cística, não perca este outro artigo em que falamos se é normal dar espinha após limpeza de pele.

Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais - Remédios naturais para o tratamento da espinha cística

Este artigo é meramente informativo, no ONsalus.com.br não temos capacidade para receitar tratamentos médicos nem realizar nenhum tipo de diagnóstico. Convidamos você a recorrer a um médico no caso de apresentar qualquer tipo de condição ou mal-estar.

Se pretende ler mais artigos parecidos a Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais, recomendamos que entre na nossa categoria de Pele, cabelo e unhas.

Referências

1. Mayo Clinic. Acné. Disponível em: <https://www.mayoclinic.org/es-es/diseases-conditions/acne/diagnosis-treatment/drc-20368048>. Acesso em 12 de julho de 2021.

Escrever comentário

O que lhe pareceu o artigo?

Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais
1 de 4
Espinha cística: causas, tratamento e remédios naturais

Voltar ao topo da página